03/12/2019 às 19h19min - Atualizada em 03/12/2019 às 19h19min

Polícia Civil encontra família de andarilho desaparecido desde 2016

Olhar Alerta
ARAGUAIA NOTÍCIA
No fim do mês de novembro, um homem com indícios de problemas mentais e ferido foi acolhido por agentes da Polícia Militar de Santa Terezinha. Na oportunidade, a guarnição havia sido chamada para verificar quem era um rapaz que andava pela rodovia a caminho do município, e quando os policiais o encontraram, perceberam que era alguém que precisava de ajuda.

O homem que se identificava como “Uga Uga Elefante Rei”, estava ferido por disparo de arma de fogo, e apresentava confusão mental. Os agentes juntamente com profissionais da Assistência Social da cidade deram banho, alimentação, roupas, calçados e conseguiram um lugar para que o rapaz pudesse ficar.

A Polícia Judiciária Civil iniciou um intenso trabalho de investigação para tentar localizar a família e saber mais informações sobre Uga Uga.



Em entrevista, o investigador Douglas Sales afirmou que foram usadas técnicas de interrogatório para conseguir as informações pertinentes que pudessem levar a localização da família: “fizemos um trabalho de entrevista, ficamos mais ou menos três horas conversando com ele para que conseguíssemos arrancar informações que nos levassem até a família dele. Foi quando ele falou que o nome dele era Milton e que tinha vindo da região de Feira de Santana, do bairro Gado Novo”.

O investigador entrou em contato com a Delegacia de Polícia Judiciária Civil de Feira de Santana (BA), e com o Centro de Referência e Assistência Social (CRAS), e uma investigação por parte deles foi iniciada. Cerca de duas horas após Douglas passar todas as informações que havia conseguido, os servidores da Bahia afirmaram ter encontrado a mãe do rapaz e enviaram fotos dos documentos dele.

José Milton Sena Bispo, de 38 anos, sofre de esquizofrenia. A mãe, Maria das Graças Alves de Sena foi identificada e contou que no ano de 2016 ela teria procurado a polícia local e registrado um boletim de ocorrência, pois na oportunidade, algumas pessoas haviam agredido José Milton e, inclusive tinham efetuado disparos de arma de fogo contra ele. Foi quando ele desapareceu.

“Por todos os municípios que ele veio passando, desde Feira de Santana, até aqui no Mato Grosso, ninguém parou para dar assistência e nem as devidas atenções à ele”, expressou o investigador.

No momento, José Milton está no CRAS de Santa Terezinha onde é atendido, ele aguarda a Assistência Social de Feira de Santana busca-lo para o levar de volta para casa.

Segundo Douglas, a mãe, muito emocionada, agradeceu por terem o encontrado e aguarda o retorno do filho, que está desaparecido desde o ano de 2016.
Notícias Relacionadas »
Comentários »