12/09/2019 às 12h56min - Atualizada em 12/09/2019 às 12h56min

Pesquisas em ovinos realizadas no Univar comungam ensino, pesquisa e extensão

ARAGUAIA NOTÍCIA
Univar

A Iniciação Científica (IC) é um processo de engajamento para a pesquisa que ocorre nas principais Instituições de Ensino Superior (IE’s) do Brasil. É através da IC que os alunos começam a ter contato com as análises e exploração empírica e prática.  No Centro Universitário do Vale do Araguaia (Univar) não tem sido diferente. Os três pilares que correspondem à pesquisa, ensino e extensão dentro de um IE’s de referência são comungados diariamente na educação ofertada aqui.

O curso de Zootecnia pertencente ao campo de conhecimento das ciências agrárias atualmente desenvolve pesquisas pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). A docente e pesquisadora Ana Paula Silva Possamai atua na produção animal e nutrição de ruminantes, e tem produzido ciência juntamente com os alunos do curso no laboratório de química.

“Essa pesquisa se refere a um levantamento de rebanho de ovinos para controle parasitológico, as amostras que foram processadas hoje foram coletadas em propriedades da cidade de Araguaiana” afirmou Possamai.

Com o objetivo de avaliar as fezes dos ovinos para quantificar ovos de parasitas, a pesquisa ainda correlaciona o nível encontrado com o de hematócrito (volume de hemácias no sangue ).

Docente Drª Ana Paula Possamai auxiliando os alunos em laboratório.

A partir da análise que é feita no microscópio, os discentes dão um retorno aos proprietários da propriedade. Dessa forma, o produtor de ovinos tem conhecimento sobre a condição parasitológica do seu rebanho.

É importante ressaltar que os alunos formulam uma recomendação aos produtores com o intuito de demonstrar as ações a serem tomadas em relação ao resultado obtido. Assim, essa pesquisa realizada pelo curso engloba o ensino, a pesquisa e a extensão.

Alguns alunos que participam do projeto são Rafael Silva do último ano de Zootecnia, Marcione Santos do 3° ano e Wilker Dias do 2º ano. Silva é o aluno líder e bolsista da pesquisa, enquanto Santos e Dias são auxiliares dos experimentos que realizam.

“Este trabalho de pesquisa é  muito importante porque estamos conhecendo a propriedade e aumentando o nosso Networking, além é claro, de obtermos mais conhecimento na área e ajudar,” ressalta Silva .

Já os dois alunos auxiliares veem na oportunidade uma chance de crescimento e acúmulo de conhecimento que será válido para os próximos anos da graduação.

Em primeiro plano,  Marcione Santos, à direita Wilker Dias,  à esquerda Rafael Silva.

Este projeto de pesquisa é importante para a população, porque segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura,  12% da população brasileira nunca consumiu carne de ovinos na vida. Isso revela o desconhecimento por parte da população em relação aos benefícios do consumo da carne.  Além disso, a cadeia produtiva dos ovinos sustenta nossa vestimenta, cosmética, saúde, bem-estar além é claro, da alimentação.

Em relação a relevância da pesquisa de controle parasitológicos em ovinos, a professora Possamai alerta “Quanto maior a carga parasitária, maior a incidência de anemia nos animais e como consequência toda a produção é afetada”.

Os encontros de pesquisa ocorrem todas as terças e quintas-feiras e tem vigência de 12 meses conforme recomendação do Ministério da Educação.

Notícias Relacionadas »
Comentários »