15/08/2019 às 07h38min - Atualizada em 15/08/2019 às 07h38min

Foco de raiva bovina preocupa sindicato e Indea que pedem imunização de rebanho na região de Barra do Garças

Esse foco surgiu na cidade de Ribeirãozinho e num raio de 12 km as propriedades já foram notificadas para vacinação do gado

Kayk Alves / SEMANA 7
ARAGUAIA NOTÍCIA
Celso Reimer do Indea diz que a vacinação é importante para prevenção


Foi lançada nesta quarta-feira (14), a campanha de combate à raiva animal, em Barra do Garças. A iniciativa é do Sindicato Rural, com sede no município, que busca, após a ocorrência de focos da doença nas proximidades, conscientizar os produtores locais a fazerem a vacinação dos rebanhos.

A expectativa do Sindicato Rural é que a campanha dure até que boa parte do rebanho da região tenha sido vacinada. Durante esse período, a entidade se propõe a orientar e conscientizar a cadeira produtora sobre a raiva, com a distribuição de material informativo.

Através de parceiros, a iniciativa também está comovendo o mercado local de produtos agropecuários, para que não falte a vacina da doença. Para o presidente do sindicato, Eduardo Baroni, o valor da dose é insignificante diante dos riscos de perda ao produtor.

“Não onera o proprietário porque o custo da vacina é barato, em torno de 80 centavos a dose. Se você avaliar o preço de um animal, avaliar o risco que você tem do seu funcionário contrair a doença, o custo passa a ser insignificante.”

A campanha pretende atingir toda a área de jurisdição do sindicato, composta pelos municípios de Barra do Garças, Araguaiana, Pontal do Araguaia e General Carneiro. De acordo com Baroni, a pretensão é trabalhar as cerca de 400 mil cabeças de gado existentes nessa região.

“Essa é uma campanha de profilaxia, para que todos os produtores busquem a vacinação, se precavendo de prejuízos maiores. A doença mata o animal e também pode ser transmitida para os funcionários das fazendas”, diz.

Recentemente houve focos de raiva bovina nos municípios de Água Boa, Pontal do Araguaia e Ribeirãozinho. Nos três casos, o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea) já notificou ou ainda notifica os proprietários em um raio de 12 quilômetros para realizarem a vacinação dos animais.

Nesses locais, o Indea também já executa o controle do morcego hematófago, que é transmissor da doença através do contato da saliva com a corrente sanguínea da vítima. Segundo o gerente regional da entidade, em Barra do Garças, Celso Reimer, é combatida apenas essa espécie, que se distingue por incluir em sua base alimentar o sangue.

“Ele é capturado, é passado uma pasta e é solto de novo no ambiente. Nos locais onde se aglomeram, eles se esfregam e lambem um no outro. Através dessa pasta, o morcego hematófago é eliminado.”



Para não faltar vacina, a equipe responsável pela campanha já acionou as revendas próximas para que encaminhem doses com urgência para a região. As lojas de produtos agropecuários também já estão avisadas para que antecipem o recebimento dessas mercadorias.

“Falta de vacina não vai ser o problema. O Indea já tomou essa providência, já ‘lincou’ com todas as outras revendas, onde tem o produto, para mandar para cá”, afirma a representante regional da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Teia Fava, também parceira da campanha.

Além do Indea e da Acrimat, entram também como apoiadores o Sistema Famato, o Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (Fesa) e a prefeitura de Barra do Garças.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

0.9%
3.6%
11.7%
83.8%