12/07/2019 às 15h04min - Atualizada em 12/07/2019 às 15h04min

Pai é preso após tentar estrangular com uma abraçadeira a própria filha de 1 ano e 7 meses

A garotinha pode ficar com problemas de coordenação motora

G1 MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
A menina de 1 ano e 7 meses que foi estrangulada pelo pai com uma abraçadeira em União do Norte, Distrito de Peixoto de Azevedo, a 692 km de Cuiabá, continua internada no Hospital Regional, sem previsão de alta.

Foi realizado um exame de tomografia na paciente e os médicos apontaram crânio fraturado e perda de parte da coordenação motora.

A tentativa de homicídio aconteceu na sexta-feira (5) quando a menina estava sozinha em casa com o pai, Diego Machado de Farina, de 27 anos. Ele está preso desde o dia do crime e foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio qualificado na forma tentada.

O médico que acompanha a criança, José Agnaldo Paranhos Solto, disse que a criança deu entrada no hospital em estado grave.

Segundo o médico, a cabeça da menina foi batida diversas vezes contra o pé da cama e, por isso, houve fratura no crânio, além de sequelas no tórax.

Além dos médicos e enfermeiros, a criança está sendo acompanhada por uma fisioterapeuta para recuperar o movimentos.

O crime

Segundo a Polícia Civil, Diego estava sozinho em casa com a filha e tentou matá-la com uma abraçadeira de plástico, conhecida como 'enforca gato'. Em seguida, ele tentou se matar.

O chefe de Diego foi quem encontrou a criança sufocada com a presília no pescoço e o pai desmaiado com uma faca na mão.

Os dois foram levados ao posto de saúde do distrito e receberam atendimento médico. A criança, assim que recebeu os primeiros socorros, foi encaminhado em estado grave ao Hospital Regional de Peixoto de Azevedo.

Já Diego foi encaminhado à delegacia, em seguida. Segundo a polícia, ele não demonstrou arrependimento durante o interrogatório.

A mãe da criança, de 27 anos, também foi conduzida à delegacia ainda na sexta-feira. Ela foi ouvida e autuada em flagrante por abandono de incapaz.

A criança está sob a proteção do Conselho Tutelar.
Notícias Relacionadas »
Comentários »