23/05/2019 às 15h09min - Atualizada em 23/05/2019 às 15h09min

Casos de dengue aumentam em Barra do Garças e causa seria lixo doméstico alerta Secretaria de Saúde

Francis Amorim / Secom - BG
ARAGUAIA NOTÍCIA


A população de Barra do Garças deve ficar em alerta para o aumento dos casos de dengue nos últimos meses. Nesta quinta-feira (23), a Coordenação de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde reuniu a imprensa para pedir a colaboração dos moradores no combate do mosquito aedes aegypti, o transmissor da doença.

De acordo com o órgão, é preciso unir forças para evitar o surgimento de focos e, consequentemente, evitar a notificação de mais casos. Em relação ao ano passado, o aumento foi de aproximadamente 500%. “Estamos vivendo um período epidêmico de dengue, sendo 476 casos notificados em Barra do Garças”, alerta a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Auxiliadora Dantas.

De acordo com a coordenadora, a situação preocupa pelo registro de três óbitos nas cidades de Canarana, Porto Alegre do Norte e Primavera do Leste. “Foi identificado a circulação do vírus tipo 2, o mesmo que provocou a epidemia de 2008 a 2011, e ele á considerado o mais agressivo, com formas mais graves da doença”, chama à atenção.

Proliferação

O lixo doméstico tem sido o grande responsável pela proliferação dos focos do aedes aegypti em Barra do Garças. Análise realizada pela Vigilância Ambiental aponta que o simples gesto de deixar recipientes acumuladores de água tem colaborado para essa triste realidade. Diante dessa situação, a Secretaria de Saúde pede a colaboração da população.

“Falta essa conscientização da população na hora de descarta o lixo ou o armazenamento da planta. Adotar medidas básicas dentro das residências, de não deixando acumular água colabora para mudar essa realidade, pois, o maior problema está dentro das nossas casas. Se não nos conscientizarmos, a proliferação aumentará ainda mais”, ressalta o técnico da Vigilância Ambiental, Antônio Santana.

A secretária de Saúde, Clênia Monteiro pediu a colaboração da população. Segundo ela, é preciso o envolvimento de toda a sociedade para que os casos possam ser evitados. “Estamos em alerta de perigo”, ressalta, chamando à atenção para o fato do município não dispor de leitos hospitalares para atender pacientes caso ocorra uma epidemia.

Clênia agradeceu o empenho da Defesa Civil e das instituições envolvidas na campanha de combate a dengue realizada em Barra do Garças, porém, chama à atenção para que cada morador faça a sua parte e ajude o município nessa batalha. “Estamos não é nem para pedir, é para implorar a população, porque o principal foco está no lixo doméstico”, afirma.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%