22/05/2019 às 20h43min - Atualizada em 22/05/2019 às 20h43min

Polícia Civil prende acusado de matar ex-artista plástico que teve corpo queimado no Araguaia

O ex-artista que se tornou usuário teria uma dívida de 500,00 de drogas com o suspeito e não tinha como pagar. No crime, Fabricio teve ajuda de um menor.

Araguaia Notícia
Vanderlei que foi assassinado / Fabricio já preso sendo apresentado na delegacia


Um crime com requintes de crueldade. O ex-artista plástico, Vanderlei Luiz do Nascimento, 32 anos, conhecido como Garrincha, foi torturado e morto a facadas e ainda teve o corpo queimado no município de Aragarças-GO na divisa com Mato Grosso. O brutal homicídio aconteceu no dia 28 de Maio de 2018.

Um ano depois, a Polícia Civil por intermédio da equipe do delegado Ricardo Galvão finalmente conseguiu localizar e prender o suspeito Fabricio Artur Silvestre, 21 anos, que já estava com a prisão decretada desde o crime, todavia estava foragido. Ele foi detido no mesmo setor onde na terça-feira (21/5) a polícia prendeu dois menores suspeitos de colocarem fogo numa viatura da Polícia Civil em Água Boa.

Galvão acompanhou o cumprimento do mandado de prisão e relembrou o caso. De acordo com inquérito, Fabricio teria cometido o crime na companhia de um menor cuja identificação já foi feita e que já confessou a participação no homicídio.

“Na época, a polícia investigou que o artista plástico se tornou usuário de drogas e teria uma dívida de R$ 500,00 com Fabricio proveniente da compra de entorpecentes e Garrincha não tinha como pagar. Um dia antes de ser assassinado, o artista plástico estava na companhia de outros usuários numa casa quando chegaram Fabricio e o menor e levaram a vítima”, comentou o delegado.

Testemunhas disseram à polícia que Garrincha saiu gritando e pedindo pelo amor de Deus para não o matarem. “Ele gritava não faz isso comigo não e depois disso a vítima sumiu e no dia seguinte encontraram o corpo dele com sinais de tortura e queimado”, completou o delegado.

O corpo de Garrincha foi encontrado numa área ao lado do Cruzeirão no bairro Alto Horizonte, na manhã de segunda-feira (28/5/18).

Artista plástico

Garrincha era morador do setor Alto Horizonte e gostava muito de fazer pinturas em cerâmica. No passado, ele teve uma vida normal quando concedeu entrevistas na imprensa falando sobre o seu trabalho artístico. Só que Garrincha, infelizmente, se envolveu com as drogas e se tornou dependente químico ao ponto de cometer crimes para manter o vício.

A Polícia Civil informou que ele tinha passagens por furto, roubo e uso de entorpecentes. Garrincha chegou a morar debaixo da ponte.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%