11/05/2019 às 09h30min - Atualizada em 11/05/2019 às 09h30min

Professor sofre surto e tranca alunos em laboratório do IFMT; PM e Samu são acionados

ARAGUAIA NOTÍCIA
Olhar Direto


A Polícia Militar foi acionada na manhã desta sexta-feira (10) para o Instituto Federal de Educação (IFMT), em Cuiabá, a pedido da direção da unidade. De acordo com o vice-diretor da escola, Macos Vinicius, um dos professores trancou quatro alunos em um dos laboratórios durante um “surto”. Os alunos já foram liberados e o profissional recebe atendimento psicológico. O instituto foi esvaziado, ninguém ficou ferido.

Conforme apurado pelo Olhar Direto, o professor estava no laboratório de geoprocessamento ministrando uma aula de agricultura, quando os alunos começaram a ficar impacientes e o professor acabou “surtando”. Informações oficiais revelam que profissional está em tratamento contra a depressão e que nunca houve reclamações quando a postura dele. Essa é a primeira vez que ocorre algo desse tipo.

O vice-diretor do instituto, Marcos Vinicius, afirma que a PM e o Samu foram chamados por motivos de protocolo e que a instituição dará todo o suporte para que o professor se recupere e possa dizer o que aconteceu. “Ele é um servidor, um ótimo professor, mas que foi acometido por um surto. Ele não é nenhum criminoso, chamamos a Polícia Militar e o Samu porque faz parte do protocolo da instituição, uma prevenção que a gente tem para que não acontecesse nada de pior com os alunos e nem com ele mesmo. Ele está sendo encaminhado para a UPA para receber atendimento e depois irá prestar esclarecimentos sobre o que aconteceu”, diz.

De acordo com a PM, o profissional estava em um laboratório com várias ferramentas e no momento do “surto”, ele estava com um machadinho na mão, mas que em nenhum momento foi utilizado para ameaçar os alunos. Os militares negociaram com ele a soltura dos alunos e posteriormente o encaminharam para atendimento médico. Após receber alta ele prestará depoimento para esclarecer os fatos. As aulas foram canceladas nos três turnos, cerca de 2.850 alunos foram liberados das atividades nesta sexta-feira.

Histórico:

No último dia 29, uma suposta ameaça de um massacre no campus de Cuiabá do Instituto Federal de Mato Grosso, nesta segunda-feira (29), mobilizou equipes da Polícia Militar. A imagem de uma arma, compartilhada em grupos de WhatsApp, acabou gerando o pânico. 

Na época,  o responsável pelo compartilhamento da imagem foi identificado pela direção da unidade e confirmou ter sido ele quem publicou a foto. Porém, alegou que ela teria sido retirada da internet. Os pais dele também foram chamados ao IFMT e informados sobre o ocorrido.

O Coletivo de Psicólogos do Instituto emitiu uma nota lamentando a repercussão negativa dada por alguns veículos de comunicação. De acordo com a nota, o professor presta um excelente trabalho na instituição, inclusive com reconhecimento dos alunos. Que ele está em tratamento contra a depressão e que não cabe julgamento ou estereótipo.

Veja abaixo a nota na íntegra
 
Nota de Repúdio à Repercussão Sensacionalista do Caso.
 
É lamentável que matérias jornalísticas não se preocupem com a pessoa, com o ser humano, mas sim com o conteúdo a ser reportado. Preocupados em nos solidarizar com nosso colega de trabalho, o Coletivo de Psicólogos do IFMT vem a púbico comunicar que, o referido professor encontra- se em acompanhamento psiquiátrico e psicoterápico, e ainda recebe acompanhamento psicológico da equipe de saúde mental do Campus Cel. Octayde Jorge da Silva. Ninguém escolhe adoecer, precisamos no unir e acolher o outro, sem julgamentos ou estereótipos. O professor presta excelente trabalho a comunidade escolar com resultados profícuos no âmbito do ensino, pesquisa e extensão, em contrapartida tem total reconhecimento de seus estudantes. Precisamos repensar e educar as pessoas e a sociedade para acolher e cuidar.
Lembrando, que esta situação pode acontecer em qualquer contexto com qualquer pessoa.
Isso nos faz repensar na saúde mental do servidor público que vem sendo atacada de forma cruel na atualidade.
Importante ressaltar que devemos investir em Políticas Públicas de Saúde Mental na Educação.
 
Coletivo de Psicólogos do IFMT.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%