02/05/2019 às 23h14min - Atualizada em 02/05/2019 às 23h14min

Conheça mais sobre o curso de Direito do Centro Universitário Univar de Barra do Garças

"O acadêmico já vivência todo ambiente da prática do direito, desde o início de sua formação”, explica professor Felipe Magalhães Bambirra, que concedeu entrevista no final do mês de abril ao site

ARAGUAIA NOTÍCIA
Assessoria
Felipe Magalhães Bambirra concedeu entrevista ao site da instituição que agora é divulgado aqui no Araguaia Notícia


O professor do curso de Direito do Centro Universitário do Vale do Araguaia – UNIVAR, Dr. Felipe Magalhães Bambirra, concedeu entrevista para o site da instituição no dia 24/4.

Felipe Magalhaes Bambirra é Mestre e Doutor em Direito na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Pós-Doutor pela Universidade Federal de Goiás - Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar de Direitos Humanos (PPGIDH). É Professor no Unicentro Alves Farias (Goiânia e São Paulo) - Programa de Pós-Graduação em Direito Econômico (mestrado em Direito), pesquisador bolsista da FUNADESP. Leciona, ainda, na Escola Superior da Magistratura de Goiás (ESMAGO), Escola Superior da Magistratura de Tocantins (ESMAT), e na Especialização em Direito Público da UFG/ESA-GO. Dedica-se ao Direito Público, em especial Direito Administrativo, Constitucional e Ambiental, assim como à Filosofia do Direito e do Estado. Foi bolsista de doutorado do Deutsche Akademische Austauschdienst (DAAD) e CAPES, pesquisador na República Federal de Alemanha (2011-2013), no Seminar für Staatsphilosophie und Rechtspolitik (Universität zu Köln) e no Max-Planck-Institut für ausländisches öffentliches Recht und Völkerrecht (Heidelberg). Foi professor na Faculdade de Direito da UFG (2016-2017), UFMG (2010-2011) e na Faculdade de Direito da Universidade FUMEC, o professor, falou sobre o ensino do Direito no Brasil:

Qual o principal objetivo da formação em Direito hoje?

O objetivo dos cursos de formação superior em Direito é formar um bacharel numa perspectiva crítica construtora de uma nova conduta jurídica. Os cursos em si não formam o acadêmico para uma área específica, porque isso seria limitador. Hoje é necessário, após a graduação, a especialização, na área de preferência do estudante.
De acordo com levantamento elaborado pela revista The Harvard Law Review, uma das mais prestigiadas revistas jurídicas do mundo, os profissionais do Direito que hoje são disputados pelo mercado contam com sólida formação técnica, filosófica e interdisciplinar.

Como está dimensionado o equilíbrio entre conhecimento prático e teórico?

O ensino do Direito, no caso do curso no UNIVAR, já surge de modo interligado à prática acadêmica e à pesquisa. Para tanto, realizamos parcerias e convênios com órgãos públicos. O acadêmico já vivencia toda a ambiência da prática do Direito desde o início de sua formação. Sempre digo aos alunos que, no Direito, temos dois grandes laboratórios: o primeiro é a biblioteca (e do UNIVAR está muito bem atualizada), e o segundo é a própria sociedade.

Dr. Felipe, por falar em atualidade, como o senhor avalia este processo de copiar e colar que a mídia tem divulgado em alguns casos do direito?

A tecnologia permite que trabalhos repetitivos sejam eliminados e confere agilidade e comodidade, sem dúvida nenhuma. Contudo, o profissional da área jurídica deverá contar com uma formação densa; deverá acima de tudo, ter capacidade analítica para compreender o contexto do caso que examina, as normas, doutrina e jurisprudência. O profissional que usa a internet como forma de poupar trabalho ou se apropriar do trabalho de um terceiro não faz um bom trabalho, pois cada caso tem as suas peculiaridades, além de exigir estratégia específica. O Novo Código de Processo Civil, promulgado em 2015, diante do problema do copiar e colar – de advogados, magistrados, promotores etc – exigiu,  a análise específica do caso em exame, podendo até tornar-se uma decisão nula, caso seja fruto de copiar e colar. Por fim, deve-se destacar que tal prática pode significar, ainda, infração cível e ético-disciplinar, perante os respectivos órgãos de controle, pois trata-se de trabalho intelectual e autoral, gozando de proteção legal.

Qual é a relevância, de um lado, do conhecimento filosófico, e de outro, da tecnologia e inovação, para o profissional do Direito na atualidade?

A pesquisa que citei, publicada da Harvard Law Review, identifica que o aluno tem que ter o perfil interdisciplinar. É fundamental uma base filosófica consistente, porque as questões do Direito hoje são altamente complexas e inovam com grande velocidade, devendo o profissional ser criativo e encontrar soluções adequadas à Constituição, leis e jurisprudência, e, para isso, o conhecimento dos fundamentos do direito e da filosofia faz toda a diferença. Além disso, o bom profissional do Direito deve estar “antenado” sobre o impacto das tecnologias no cotidiano, é o caso das criptomoedas, das mudanças políticas, ou mesmo de novas formas de serviço, como o Uber, por exemplo, que envolve novidades em várias áreas do Direito.

O UNIVAR iniciou em 2019, o curso de Direito, através da Portaria nº 601, de 30 de agosto de 2018 (D.O.U. 04/09/2018). O curso conta com 100 vagas nos períodos matutino e noturno, com duração de cinco anos com uma carga horária total de 4512 h/a equivalente a 3760 horas. O curso é coordenado pela Prof.ª. Me. Dandara Amorim e sua modalidade é de forma presencial divido por semestres.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%