01/05/2019 às 10h16min - Atualizada em 01/05/2019 às 10h16min

Delegado que atuou em Barra do Garças lança livro com colegas de MT

Essa obra busca apresentar temas contemporâneos e poucos explorados doutrinariamente na Polícia Civil

ARAGUAIA NOTÍCIA
Amdepol
Joaquim Leitão atuou na cidade de Barra do Garças por vários anos Foto: Amdepol


O delegado Joaquim Leitão, que atuou por vários anos na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Barra do Garças, é um dos autores do livro “Tratado Contemporâneo de Polícia Judiciária”, que será lançado no dia 26 de junho no Cine Teatro Cuiabá. A obra foi subscrita com mais colegas delegados da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso pela editora Umanas. A coletânea busca apresentar temas contemporâneos e poucos explorados doutrinariamente, com profundidade ímpar.

Participam da elaboração da obra os delegados Marcel Gomes de Oliveira, Guilherme Berto Nascimento Fachinelli, Rodrigo Azem Buchdid, Luiz Henrique Damasceno, Bruno Lima Barcellos, Claudio Álvares Sant’Ana e Henrique Hoffmann.  

Vivemos no tempo em que a segurança pública, e mais precisamente, as atividades policiais, necessitam de uma ótica mais aguçada – não daqueles que estão no conforto de suas cadeiras e salas de ar-condicionado, ignorando os perigos e nuances da criminalidade moderna -, mas daqueles que estão dentro da atividade policial diretamente, e não apenas uma visão tradicional.

Neste livro, os temas ganham eco e projeção jurídica através dos autores que o compõe. Percebe-se que para o enfrentamento do crime organizado e da criminalidade contemporânea, métodos tradicionais e clássicos não resolvem mais aos reclames de uma investigação criminal.

É salutar que o intérprete saia do próprio conforto e repense na interpretação jurídica sob os holofotes de uma investigação policial moldada dentro dos limites e parâmetros constitucionais.

Para se ter uma ideia, os autores aqui fazem uma incursão em temas espinhosos como:

Colaboração premiada;
Limites da premiação na colaboração premiada;
Impossibilidade da impugnação do acordo de colaboração premiada;
Capacidade postulatória do Delegado de Polícia;
Polêmicas do furto de semoventes, abate de criminosos por snipers, tipificação de exigir da vítima fotografias ou vídeos desnudos pela internet, princípio do delegado natural.

A obra ainda traz temas relacionados ao contraditório no inquérito policial e a função do delegado na persecução criminal;

Direito de segurança pública;
Discussão sobre a requisição do prontuário médico e o dever de atendimento;
Mera palmada na criança e o adolescente e análise de relevante penal ou não. E mais, o Delegado de Polícia pratica crime de hermenêutica?;
Acesso de dados em aparelhos de celulares em uma análise crítica;
Autoridade Policial e a concessão de medidas protetivas de urgência.

Conforme supracitado, é possível observar que os assuntos pautados neste exemplar são atuais e ganham um colorido importante na visão dos autores com vastas experiências práticas, inclusive em grandes operações policiais, e teóricas nos temas desenvolvidos.

O livro é indicado para estudantes, Delegados de Polícia, Investigadores de Polícia, Escrivães de Polícia, Inspetores, demais membros integrantes de outras forças policiais, Juízes, Promotores, Advogados e concurseiros, principalmente das carreiras policiais.

Você, enquanto leitor ávido pelo conhecimento na esfera policial e jurídica, sinta-se convidado para se deleitar-se nas temáticas aqui abordadas.

O link para conhecer mais a obra e aquisição é o seguinte: http://grupoumanos.com.br/prevenda/


 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%