30/03/2019 às 21h49min - Atualizada em 30/03/2019 às 21h49min

Deputado Max Russi analisa conferência e implantação do piso nacional de agentes de saúde e endemias em Barra do Garças

JOSÉ MARQUES / AL - MT
ARAGUAIA NOTÍCIA


Em sua participação na 7ª Conferência Municipal de Saúde, em Barra do Garças, o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), destacou a importância da realização dessas conferências para os  encaminhamentos de políticas públicas efetivas.

Durante o evento, que aconteceu na última quinta-feira (28), o parlamentar citou o exemplo de um de seus  projetos de lei,  que  busca garantir a restituição de eventuais valores gastos com tratamentos de saúde realizados na rede pública.  “Uma proposta que vai ser bastante discutida e debatida e que nasceu de um evento como esse”, exemplificou.

Russi também teve forte participação na cobrança dos repasses ao hospital regional do município. Max e o prefeito Roberto Farias cobraram soluções ao governador Mauro Mendes, que assegurou regulamentar a aplicação do aporte mensal e procurar medidas para sanar a dívida com o município, que ultrapassa R$ 14 milhões.

Outro marco na atuação do deputado foi quanto ao teto salarial nacional, que passou a ser garantido a agentes comunitários de saúde e de combate a endemias (ACSs). A lei que define essa regulamentação foi sancionada por Farias e teve articulação de Max Russi junto à Câmara de Vereadores. A jornada passa a ser de 40 horas, com o piso de R$ 1.250.

A efetivação da classe também tem sido uma bandeira do deputado Max Russi. Até mesmo antes disso, quando prefeito de Jaciara, ele foi um dos primeiros no estado a efetivar os ACSs, inserindo-os num plano de cargos e salários. Já quando gestor da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT), Max promoveu a inclusão desses profissionais no Pró-Família. Esse programa de resgate social foi criado pelo próprio parlamentar, à época licenciado para exercer o cargo de secretário.

“Estabelecer esse debates e manter essa sequência de encaminhamentos, com a participação da população, fortalecem o desenvolvimento de ações mais firmes e que vão de encontro aos anseios de quem mais precisa dos serviços de saúde”, analisou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%