07/03/2019 às 16h43min - Atualizada em 07/03/2019 às 16h43min

Sumiço de manicure no Araguaia completa 3 anos e meio sem solução

Família pergunta o que aconteceu com Sandra Godoy? Ela foi assassinada? Cadê o corpo? Se ainda tem alguma invesgitação em andamento? São indagações que não saem da cabeça dos parentes

RÁDIO INTERATIVA FM
ARAGUAIA NOTÍCIA


Agora no mês de março completa 3 anos e meio do desaparecimento da manicure Sandra Godoy que saiu de Barra do Garças com destino a cidade de Ribeirão Cascalheira e não foi mais vista. A família até hoje vive um drama sem resposta para o sumiço de Sandra que na época tinha 30 anos.

A Polícia Civil e o Ministério Público que acompanharam o caso não conseguiram esclarecer o que aconteceu com a manicure. A famíia suspeita que ela foi assassinada e o corpo ocultado ao ponto de deixar essa interrogação por tanto tempo.

Sandra saiu de Barra do Garças onde morava, no dia 28/09/15 rumo à Ribeirão Cascalheira. Ela foi vista numa filmagem descendo na rodoviária de Canarana e supostamente entrando numa caminhonete.

O ex-marido de Sandra, que chegou a ficar preso na época, admitiu que esteve com ela em Canarana, mas negou qualquer envolvimento no sumiço da manicure e por isso foi colocado em liberdade. 

O último contato de Sandra com sua filha de 12 anos aconteceu por volta das 06h30 do dia 29/9/15. Sandra contou para a filha que iria no salão às 09hs da manhã em Ribeirão Cascalheira e desligou o telefone. A falta de notícias deixa a família desesperada.

 

============ 

 

PUBLICADO EM 2.015

 

O desaparecimento da manicure Sandra Godoy, de 29 anos, completou 100 dias na quarta-feira (6). A jovem sumiu no dia 28 de setembro quando viajava de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, para Ribeirão Cascalheira, município localizado a 893 km da capital. A Polícia Civil investiga o caso. O ex-namorado da jovem, que está preso, é o principal suspeito de ser o responsável pelo sumiço.

O ex-namorado, que tem 55 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Ele nega ter relação com o desaparecimento da mulher.

Segundo José Carlos Godoy, pai de Sandra, os parentes estão mantendo contato com a polícia. “Meu filho está acompanhando as investigações na delegacia, mas na família estão todos abalados.

O irmão da manicure, Luis Carlos Godoy, chegou a parar de trabalhar para tentar conseguir pistas em relação ao paradeiro de Sandra. “Essas buscas fiz nas estradas de chão e asfalto de Canarana para  Ribeirão Cascalheira. Na região de Ribeirão Cascalheira fui até nas proximidades de Porto Alegre do Norte”, contou.

O caso é investigado atualmente pelo delegado Welber Batista Franco, da Polícia Civil de Água Boa. De acordo com o delegado, o ex-namorado da manicure é o principal suspeito do caso porque ele foi a última pessoa que teve contato com ela.

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito nega envolvimento com o desaparecimento da mulher. O delegado aguarda os laudos da perícia para verificar se o material colhido no veículo dele se trata de sangue humano.
 

Entenda o caso


Sandra Godoy desapareceu no dia 28 de setembro quando viajou de Barra de Garças, cidade onde morava, com destino a Ribeirão Cascalheira. No caminho a jovem telefonou para a filha de 12 anos informando que estava tudo bem e, depois disso, não entrou mais em contato com a família. Na ocasião do desaparecimento alguns amigos da manicure afirmaram que ela tinha dito que viajaria para receber uma dívida. À época, Letícia Godoy, irmã de Sandra, afirmou que achava que o caso se tratava de uma emboscada.


“Imaginamos que alguém tenha feito uma armadilha para ela. Minha irmã jamais ficaria tanto tempo sem manter contato, até porque morava só ela e a filha e ela se preocupava muito com a menina. Ela não desgrudava do celular”, disse. A manicure conversou com a filha de 12 anos provavelmente quando parou para comer na rodoviária da cidade de Canarana. “Ela falou para a minha sobrinha, por telefone, que, quando chegasse em Ribeirão Cascalheira, iria avisá-la, mas não telefonou”, disse Letícia.

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.9%
23.7%
1.3%