25/07/2013 às 08h08min - Atualizada em 25/07/2013 às 08h08min

Morre aos 90 anos a pioneira Rosarinha viúva de Valdon Varjão, o homem do discoporto

Olhar Direto
Valdon Varjão Rosarinha e Varjão agora juntos na eternidade

Morreu quarta-feira (24) a pioneira de Barra do Garças, Maria do Rosário Peres Varjão, a dona Rosarinha, viúva do ex-prefeito Valdon Varjão, que foi conhecido mundialmente como autor do projeto do discoporto e como primeiro senador negro da república. Rosarinha enfrentava problemas de saúde em função dos seus noventa anos de idade, segundo informou a filha, psicóloga Malba Tania, e o neto, chefe do cartório de 1º ofício do município, Danilo Varjão.

Ela nasceu em 15 de maio de 1923 em Registro do Araguaia próximo a Araguaiana e quando moça conheceu Varjão com quem se casou e teve quatro filhos e se mudou para Barra do Garças que foi emancipada pelo prefeito na época, Antônio Paulo da Costa Bilego, que era cunhado de Rosarinha.

Sempre companheira fiel, Rosarinha acompanhou a trajetória do esposo que se tornou um dos políticos de maior prestigio na história de Barra ocupando o cargo de prefeito e senador, mas a grande contribuição de Varjão foi como escritor e historiador. Ele publicou 27 livros sobre Barra e se tornou o maior divulgador da cidade.

Em 1996, Varjão foi notícia no mundo inteiro ao apresentar o projeto de lei que criou o discoporto. O que foi visto como uma loucura no início se tornou uma grande cartada de marketing porque colocou Barra na rota do ufoturismo. O município foi citado numa reunião de presidentes das 8 maiores potencias do mundo na Alemanha. A lei de Varjão prevê a criação de uma área de observação de objetos voadores não-identificados (ovnis). “Minha mãe foi uma pessoa maravilhosa e presenciou a história de Barra ao lado do meu pai Varjão”, lembra Malba bastante emocionada.

O prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias, tomou conhecido da morte de Rosarinha por volta das 13 horas e lamentou. “Estamos triste porque perdemos uma pioneira, uma pessoa que fez parte da história de Barra desde a época de Bilego, Varjão, Lalau e Wilmar Peres”, ressaltou Beto que já enviou as condolências a família em nome da prefeitura.

O presidente da Câmara Municipal, Miguelão Moreira, externou o sentimento de pesar a família Varjão e acrescentou que o legislativo barra-garcense também está de luto porque a último cargo de Valdon foi de vereador. O centro de cultura do município, no Porto do Baé, é denominado Vereador Valdon Varjão numa homenagem prestada pelo legislativo que aprovou lei de autoria do ex-vereador Ronaldo Couto.

Uma das coisas que a dona Rosarinha mais gostava de fazer ultimamente era cuidar com muito carinho, nos últimos anos, do acervo de mais de 4 mil fotos e filmagens de Varjão sobre a história de Barra do Garças. Uma das vontades da família é fazer o tombamento histórico deste material. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.8%
5.0%
19.9%
73.3%