23/01/2019 às 16h15min - Atualizada em 23/01/2019 às 16h15min

Mato Grosso tem aumento no número de veículos em 2018

Alta no estado é maior do que a média nacional

Araguaia Notícia
O estado de Mato Grosso viu, no ano de 2018, um aumento significativo na frota de automóveis. Só na cidade de Rondonópolis, a 200 quilômetros da capital Cuiabá e com pouco mais de 200 mil habitantes, o aumento foi de exatos 10 mil carros. Uma estatística como essa apresenta uma série de consequências, como o aumento do trânsito e a maior necessidade de uma transportadora de veículos.
 
Apesar de um ano em que a palavra “crise” foi bastante mencionada em todo o território nacional, no Brasil a indústria automobilística viveu um crescimento de 14%, o que engloba caminhões, carros, motos, além de outros veículos.
 
A notícia funciona como bom termômetro para todo o mercado, já que o setor automotivo tem um papel histórico na produção de renda nacionalmente. O ano de 2017 representou a retomada do setor, e 2018 já foi um momento de colher alguns frutos. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o setor hoje representa 22% do Produto Interno Bruto (PIB) Industrial e 4% do total. O Brasil é o décimo maior produtor mundial de automóveis e o oitavo mercado interno.
 
No caso do estado do Mato Grosso, o aumento foi menor do que o ocorrido em escala nacional. Em 2017, o total de veículos emplacados no estado era de 1.979.951 e, no ano seguinte, a soma era de 2.082.227 automóveis, registrando um aumento levemente acima de 5%, menor do que a estatística referente ao Brasil inteiro, apresentada anteriormente.
 
Mesmo que visto com bons olhos -- pois o setor automobilístico representa muito do otimismo do mercado interno nacional e serve de termômetro para outras áreas --, o aumento na venda de carros também gera algumas questões.
 
A movimentação da economia local deve ser ressaltada, porém, o aumento do volume de veículos traz, naturalmente, mais poluição e trânsito aos centros urbanos, que devem preparar novas obras para lidar com a situação.
 
A evolução nas vendas de carros pode trazer uma resposta imediata carregada de muita positividade, porém, o desenvolvimento do transporte público e meios alternativos de mobilidade é inevitável. Como o sonho de ter um carro é algo muito marcante para os brasileiros, as ruas tendem a ficar congestionadas. Por enquanto ainda há espaço, mas as prefeituras devem procurar meios para evitar que as cidades travem.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%