16/01/2019 às 22h15min - Atualizada em 16/01/2019 às 22h15min

Nesta sexta tem leilão em Pontal para ajudar garota internada após contrair bactéria ao compartilhar bomba de tereré

Ronaldo Couto / Márcio Camilo - RepórterMT
Araguaia Notícia
Maria Eduarda contrauiu bactéria ao compartilhar bomba de tereré


A adolescente Maria Eduarda, de 14 anos, foi encaminhada em estado grave na quarta-feira (16/1) para o Pronto-Socorro de Cuiabá para dar continuidade ao tratamento de uma grave bactéria, supostamente, contraída durante o consumo de tereré (bebida gelada a base de erva-mate) com amigos

Para ajudar no tratamento da adolescente que ficou mais de quinze dias internada em Barra do Garças e Aragarças, amigos decidiram fazer um leilão-dançante para ajudá-la na Feira Coberta do Pontal do Araguaia nesta sexta-feira (18/1) a partir das 20 horas para arrecadar fundos. 

“Os médicos pediram exames para confirmar que bactéria atingiu a minha sobrinha. Peço orações para ela e o auxílio das pessoas com prendas e comparecimento no leilão na sexta”, comentou Glaubia, que é tia da garota.

Maria Eduarda é filha da dona Maria Auxiliadora, que trabalha na Lanchonete do Cebolinha e neta da dona Nãninha, que é conhecida como a vozinha de Pontal do Araguaia. 

O leilão terá entre as atrações a presença do cantor Vinny Jack e outros convidados. As prendas podem ser encaminhadas para família da dona ‘Nãninha’ que mora em frente a Auto Escola do Leandro.

Maria Eduarda começou a passar mal depois do natal quando tomou usou uma bomba de tereré na companhia de amigos. Dias depois saiu uma pequena ferida na boca dela. Diante da situação, a família levou a garota ao médico primeiramente em Aragarças e depois em Barra do Garças. .

Pedimos as orações das pessoas em favor desta linda adolescente. Ela estuda na escola São Jorge em Pontal do Araguaia. A família agradeceu o apoio que tem recebido de várias pessoas e da prefeitura do Pontal do Araguaia por intermédio da secretária de saúde Joice.

Em Cuiabá, Maria Eduarda já passou por exames e continua em estado crítico 

“Os rins começaram a paralisar e estava afetando outros órgãos. Diante disso, decidimos transferi-la para o hospital em Cuiabá, que tem mais condições de atendimento”, destacou Glaubia Silvia, tia da garota.  

Ela contou ainda que a sobrinha contraiu a infeção logo após o Natal, em 25 de dezembro passado. A boca dela ficou inchada, cheia de feridas e mal conseguia tomar água. “Ficou a coisa mais esquisita”, completou Glaubia.

A tia revelou que a menina passou por sete médicos que não souberam diagnosticar de que forma a bactéria foi contraída. Foi apenas no oitavo profissional que surgiu a suspeita de que Eduarda tenha sido infectada por meio da bomba que é usada para beber tereré.

De acordo com Glaubia, novos exames vão apontar que tipo de bactéria atingiu a adolescente. 

Perigo

Apesar de ser pouco divulgado, médicos alertam sobre a possibilidade de contágios de doenças como herpes e mononucleose infecciosa que podem ser transmitidas pela bomba compartilhada, por isso, a orientação é que cada tenha a sua. 

Mononucleose também é conhecida doença do beijo, uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr, transmitido através da saliva, que provoca sintomas como febre alta, dor e inflamação da garganta, placas esbranquiçadas na garganta e ínguas no pescoço.

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%