05/01/2019 às 12h30min - Atualizada em 05/01/2019 às 12h30min

Namorado é preso suspeito de envolvimento na morte de professor universitário em MT

Suspeito morava com a vítima e foi preso com o carro do professor, que foi adulterado. Professor da UFMT estava desaparecido e foi encontrado morto em dezembro de 2018.

G1 MT
Araguaia Notícia
Rodrigo José Pozzer foi preso na praça de pedágio da BR-163 em Sorriso — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria
Um homem suspeito de ter envolvimento na morte de um professor universitário foi preso nessa sexta-feira (4) na praça de pedágio da BR-163 em Sorriso, a 420 km de Cuiabá. Francisco Moacir Pinheiro Garcia, de 53 anos, morava em Sinop, a 503 km da capital, e foi encontrado morto em dezembro de 2018.

Segundo a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Sinop, o suspeito, Rodrigo José Pozzer, de 32 anos, morava com o professor, que era homossexual. Eles tinha um relacionamento afetivo.

Francisco Moacir Pinheiro Garcia, de 53 anos, era professor da UFMT em Sinop — Foto: Facebook/Reprodução

Francisco Moacir Pinheiro Garcia, de 53 anos, era professor da UFMT em Sinop — Foto: Facebook/Reprodução



Francisco estava desaparecido e era professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Em interrogatório, Rodrigo negou que teve envolvimento na morte da vítima.

De acordo com o delegado da Derf, Ugo Ângelo Reck de Mendonça, a hipótese inicial era que Francisco tivesse sido vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. No entanto, as investigações avançam na possibilidade de se tratar de um homicídio seguido de furto.

Rodrigo e Francisco moravam juntos. Ele ajudava Francisco, que tinha sido submetido a uma cirurgia em um dos braços.

Investigação

A polícia teve acesso a imagens de câmeras de segurança que apontam que o suspeito foi o último a ser visto, saindo da casa com a vítima. Dois dias após ele reaparece no local, sozinho, com o carro da vítima. Rodrigo levou diversos pertences, como eletrodomésticos, de dentro da residência.

O suspeito estava com o veículo da vítima, que já estava com placas adulteradas — Foto:  Poliana Mazzo/TV Centro América

O suspeito estava com o veículo da vítima, que já estava com placas adulteradas — Foto: Poliana Mazzo/TV Centro América



Ao ser interrogado, Rodrigo afirmou que no dia do desaparecimento levou Francisco em um bar, de onde a vítima teria saído com outras duas pessoas. Posteriormente essas supostas pessoas disseram que haviam matado o professor.

O namorado disse aos policiais que pegou o carro da vítima, o celular e foi pra casa de familiares dormir. Em nenhum momento teria chamado a polícia, mesmo sabendo da morte do professor.

O crime segue em investigação para apurar a real motivação, bem como eventual envolvimento de outras pessoas na morte da vítima.

Rodrigo foi abordado no pedágio da BR-163 em Sorriso. O suspeito estava com o veículo da vítima, que já estava com placas adulteradas.

O caso

O professor universitário foi encontrado morto no dia 15 de dezembro entre os municípios de Cláudia e União do Sul, a 608 e 689 km de Cuiabá, respectivamente.

Um boletim sobre o desaparecimento, que teria sido percebido no dia 18, foi comunicado por um amigo da vítima.

Ele disse que tentou manter contato por ligações e mensagens com o amigo. Uma pessoa respondeu com vários erros de português, o que seria improvável já que a vítima é professor.

Ainda, a foto do perfil no WhatsApp também tinha sido retirada. O telefone estava dando desligado, o veículo da vítima também não foi encontrado na casa dele.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%