30/06/2013 às 19h00min - Atualizada em 30/06/2013 às 19h00min

Promotora reclama de delegada e diz que lentidão causa impunidade

Olhar Direto
Reprodução

A promotora Vânia Marçal reclamou do acumulo de inquéritos policiais sem conclusão na delegacia de Aragarças-GO, na divisa com Barra do Garças, fato que segundo ela contribui para sensação de impunidade na região. Em entrevista polêmica, a promotora não poupou a delegada Azuen Albarelo das críticas.

A representante do Ministério Público disse que já recebeu várias reclamações que a delegada Azuen não estaria parando na delegacia e que muitos inquéritos estariam perdendo prazos e beneficiando até mesmo os infratores. Vânia disse que realmente existe a dificuldade de efetivo na Polícia Civil de Aragarças, mas acredita que essa desculpa não pode travar o trabalho da instituição.

A entrevista de Vânia aconteceu após mais uma execução de um homem cujo corpo foi encontrado com duas perfurações boiando no rio Araguaia. “Nesse caso a mãe da vítima assinou um documento na delegacia que o filho dela morreu por afogamento. Isso vai provocar no futuro uma exumação do cadáver porque na verdade a suspeita é de assassinato”, explica a promotora.

Vânia disse que é papel do Ministério Público fazer a fiscalização externa da atuação da Polícia Civil e ela pretende levar ao conhecimento da Secretaria de Segurança Pública o acumulo de inquérito policiais sem conclusão no município.

A delegada Azuen Albarelo foi procurada pela reportagem para falar sobre o assunto, mas a informação dos agentes da Polícia Civil é de que ela está viajando e irá se manifestar sobre essa situação na semana que vem.

Morto por engano

O corpo encontrado boiando no rio Araguaia era de Clayton Torres Silva, que segundo a mãe Arnilza Ferreira Torres, morreu por engano, pois os assassinos estariam na verdade atrás do irmão dele Sandro Torres da Silva que se parecem.

Dona Arnilza procurou a delegacia e depois o fórum onde reclamou desta situação e pediu proteção policial. A moradora disse que os assassinos de Clayton estariam atrás de Sandro que testemunhou contra uma pessoa e por isso teme pela segurança dele.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.4%
1.4%