28/06/2013 às 15h55min - Atualizada em 28/06/2013 às 15h55min

Depois de seis horas, índios liberam rodovia após juiz voltar atrás em prisão de xavante

Olhar Direto
Olhar Direto

Cerca de 200 xavantes da aldeia Mutum, de Nova Nazaré (950 km de Cuiabá), fecharam por mais de seis horas a BR 158, em Nova Xavantina, na quarta-feira (26). O protesto começou por volta das 07 horas da manhã e somente terminou por volta das 13 horas com a decisão do juíz Marco Canavarro de voltar atrás e revogar a prisão do índio Aurélio Xavante, 31 anos, preso na sexta-feira da semana passada, acusado de dirigir embriagado um carro com chassi adulterado.

Os índios somente liberaram a rodovia depois que o juíz concordou em rever a prisão do índigena. A interdição provocou revolta dos caminhoneiros da região. A Polícia Rodoviária Federal ajudou na negociação para liberação da pista com apoio de vereadores de Nova Nazaré.

Aurélio é neto do cacique Alexandre e filho do cacique Mauro. Os indígenas fecharam a rodovia por volta das 7 horas da manhã e pediam a presença de autoridades para negociar a soltura do índio e conseqüentemente a liberação da pista.

O magistrado se reuniu com as lideranças indígenas, vereadores de Nova Nazaré e inspetor da PRF, Eloi, onde os índios apresentaram mais documentos sobre o veículo e pediu a libertação de Aurélio fato que foi aceito pelo magistrado ao final.

Na segunda-feira, os índios cercaram o fórum de Nova Xavantina e o juíz cancelou o expediente temendo uma invasão da comarca. O xavante teve a prisão decretada por um juiz de Barra do Garças, Jurandir Castilho, que estava de plantão no final de semana.

O inspetor Eloi entende que a medida tomada pelo juiz foi a mais acertada, pois evitou mais transtornos para os motoristas que estavam na rodovia. O bloqueio ocorreu no km 624 enfrenta a fazenda tropical.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%