27/12/2018 às 14h04min - Atualizada em 27/12/2018 às 14h04min

Vizinhos denunciam 'baderna' e Bar do Boa é fechado; dono foi detido

RAUL BRADOCK REPÓRTER MT
O dono do estabelecimento Bar do Boa, localizado no bairro Boa Esperança, próximo à Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), foi detido e encaminhado para a Central de Flagrantes por crime ambiental referente à Lei do Silêncio. Fiscais da Prefeitura de Cuiabá também apreenderam equipamentos de som e suspenderam as atividades sonoras do estabelecimento por tempo indeterminado.

O fato aconteceu na noite de domingo (23), quando dois agentes de regulação e fiscalização atenderam à denúncia. Primeiramente foi feito a medição no quarto de uma idosa, que fica aos fundos do bar. Mesmo com a janela fechada, consta no boletim de ocorrência que o barulho chegou a 69,5 decibéis “valor muito acima do permitido por lei”.

Em seguida, os fiscais foram até a frente do bar, onde foi medido o valor de 65 decibéis “também acima do permitido”, segundo consta no boletim.

Diante da confirmação da denúncia, a PM foi acionada e lavrou o flagrante de crime ambiental. Na sequência, os fiscais apreenderam os equipamentos de som. O dono do estabelecimento foi encaminhado para a delegacia, sem uso de algemas.

Enquanto o caso era registrado, outros moradores chegaram no local “denunciando o volume excessivo do som, algazarra e baderna dos frequentadores daquele estabelecimento".

Os equipamentos foram levados para a Secretaria Municipal de Ordem Pública e, posteriormente, serão levados para a Delegacia do Meio Ambiente.

Assédio

O mesmo bar se viu envolvido em polêmica no dia 26 de novembro, quando um funcionário do bar teria ‘passado a mão’ nas nádegas de uma jovem.  A denúncia foi feita em redes sociais e ganhou grande apoio dos internautas.

O bar se pronunciou, na época, por meio de nota, afirmando que “O Bar do Boa é contra qualquer tipo de violência, assédio, seja física, psíquica ou qualquer outra forma, que possa ferir os direitos de alguém, toda e qualquer circunstância deste cunho será repudiado por nossa equipe”.

Outro lado

Sobre a apreensão em relação à Lei do Silêncio, o RepórterMT entrou em contato com os números disponíveis do Bar do Boa, mas as ligações não foram atendidas. O espaço continua aberto para que os responsáveis se manifestem sobre o caso.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%