18/12/2018 às 07h37min - Atualizada em 18/12/2018 às 07h37min

Polícia apura quem assassinou motorista em Barra do Garças após apresentação de jovens

Ronaldo Couto
Araguaia Notícia
A vítima Rogério foi motorista da prefeitura de Nova Xavantina e foi sepultado em Araguaiana-MT
Está em andamento o inquérito policial que apura a morte do motorista Agnel Rogério Cardoso Silva, 44 anos, assassinado com várias facadas no bairro de Vila Maria, em Barra do Garças, no sábado (15/12).

Na tarde de segunda-feira, os dois jovens que estavam com vítima se apresentaram na delegacia e deram a versão deles sobre ocorrido. Um dos suspeitos é o enteado da vítima, o jovem R.A.P., 22 anos, que estava na companhia de um colega.

Na ocorrência policial, consta que o padrasto e o enteado tiveram um desentendimento que culminou na morte do motorista. A informação é que enteado disse, na delegacia, que foi agredido e como estava na companhia do amigo (ambos) ficaram com medo do que poderia acontecer na sequencia e foram pra cima da vítima.

O delegado que ouviu os depoimentos, Antônio Moura, ainda não se manifestou sobre este caso. Como não havia um mandado de prisão os dois rapazes foram liberados após o depoimento na delegacia e estão em liberdade.

A mãe de Rhayan comentou que está preocupada com a segurança do filho e mencionou que o garoto teria sido ameaçado na noite de terça-feira por outros jovens e que ela acha que essa ameaça foi por causa do assassinato do padrasto.

Rogério era muito conhecido na cidade de Nova Xavantina onde trabalhou como motorista da prefeitura, todavia a sua família é de Araguaiana, onde foi sepultado.

A polícia informou que a vítima teria sido atacada ainda dentro do quarto e que algumas facadas foram desferidas quando Rogério estava deitado. Ele chegou a ser socorrido para hospital e comentou quem o teria esfaqueado e depois faleceu no hospital. Todavia estes detalhes serão esclarecidos no transcorrer da investigação.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%