16/12/2018 às 07h27min - Atualizada em 16/12/2018 às 07h27min

Polícia Civil ouve mulher de Caiapônia que acusa médium João de Deus de abuso sexual

Araguaia Notícia
A imprensa estadual e nacional tem publicado nos últimos dias relatos de mulheres que se sentiram abusadas sexualmente pelo médium João de Deus, que realiza atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, na cidade de Abadiânia, no entorno do Distrito Federal. A Polícia Civil de Goiás montou um grupo específico para tratar das denúncias, as investigações estão concentradas na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), em Goiânia.Na última segunda-feira (10) a Polícia Civil ouviu uma mulher moradora de Caiapônia que acusa o médium João de Deus de abuso sexual. A oitiva foi realizada na Delegacia de Caiapônia, na presença do Delegado titular Marlon Souza Luz e uma escrivã. A mulher não teve a identidade e nem a idade relevada.

Segundo a Polícia, o abuso sexual teria ocorrido na Casa Dom Inácio de Loyola, quando a mulher era menor de idade. A suposta vítima teria comparecido ao local com familiares, e em determinado momento durante um tratamento espiritual, o médium teria tocado nos seios e nas partes íntimas da vítima. Consta ainda no depoimento que o médium pegou a mão da vítima e teria a feito tocar em seu órgão genital.

O depoimento da mulher de Caiapônia foi enviado para a força-tarefa em Goiânia. O Delegado Marlon Souza Luz afirmou a nossa reportagem que outras pessoas entraram em contato com a Delegacia, mas até o momento não compareceram para formalizar depoimentos.

Segundo o Delegado Marlon, as vítimas de crimes de abuso sexual têm dificuldades em denunciar. O abuso traumatiza a vítima, que em determinados casos sente vergonha, rejeição e até culpa da situação.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%