13/12/2018 às 12h17min - Atualizada em 13/12/2018 às 12h17min

Mulher é agredida com ferro de passar, estuprada e esfaqueada dentro de casa em Barra do Garças

Depois de preso, o suspeito ainda ameaçou um homem que ajudou a vítima, dizendo saber onde ela mora e que iria pegá-lo

Karina Cabral / O Livre
Araguaia Notícia
A mulher vítima desta situação tem 53 anos
Uma mulher teve sua casa invadida na madrugada de quarta-feira (12/12) e acabou agredida com um ferro de passar roupa, estuprada e, ao tentar se defender, ainda foi esfaqueada. O caso aconteceu no Bairro São José, em Barra do Garças (510 km de Cuiabá).

Conforme o boletim de ocorrência, a vitima estava dormindo, quando ouviu um barulho. Ela se levantou e foi surpreendida pelo criminoso já dentro de sua casa. Assim que a viu, ele pegou um ferro de passar roupas e a golpeou na cabeça.

A vítima, 'M. de 53 anos', ficou com uma lesão na cabeça e, em seguida, houve a tentativa de estupro mas que não foi consumada. Tentando encontrar uma forma de fugir, a mulher pediu para beber água e tentou pegar uma faca, mas foi impedida pelo suspeito, que tomou a faca na mão dela e a esfaqueou no ombro esquerdo.

Ela saiu correndo em direção à porta da casa, gritando. Um homem de 50 anos, que aluga um dos quartos da casa, ouviu o pedido de socorro e começou uma luta com o estuprador, J.R., de 34 anos, que saiu correndo, sem roupas, e fugiu.

Porém, alguns minutos depois, ele retornou à casa procurando por suas roupas e foi detido pela testemunha, até a chegada da Polícia Militar. A vítima foi encaminhada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde recebeu atendimento médico.

O homem foi preso e, no caminho para a delegacia, começou ameaçar a testemunha que defendeu a mulher, dizendo: “você está contra mim, eu sei onde você mora e vou te pegar”, consta no boletim de ocorrência. O caso foi registrado como ameaça, dano, lesão corporal e estupro.

CORREÇÃO: A idade da vítima foi corrigida na verdade tem 53 anos e não 23 anos que foi informado no boletim policial. E após exames, ficou verificado que não houve consumação do ato sexual, todavia a vítima foi molestada e o caso pode ser tratado como tentativa de estupro. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.8%
4.6%
19.6%
74.0%