13/12/2018 às 12h14min - Atualizada em 13/12/2018 às 12h14min

Mulher denuncia médico à polícia por retirar o rim errado em cirurgia em MT: 'Acabou com a minha vida'

Técnica de enfermagem passou por cirurgia em agosto deste ano no Hospital Regional de Cáceres. Ela disse que sente muitas dores.

G1 MT
Araguaia Notícia
Arquivo Pessoal
Uma mulher denunciou um médico do Hospital Regional de Cáceres, a 280 km de Cuiabá, à polícia, por ter retirado o rim errado durante cirurgia realizada em 6 de agosto deste ano.

Técnica em enfermagem, Sirlei Herrera Infante Pereira, de 47 anos, afirmou à Polícia Civil que o médico Marcos Ednelson Garcia Bello, que atende no Hospital Regional de Cáceres, solicitou diversos exames e constatou que o rim esquerdo dela estava com tumores. O médico também teria lhe afirmado que o rim direito estava perfeito.

O G1 não conseguiu localizar a defesa do médico Marcos Ednelson Garcia Bello. Em contato com o Hospital Regional de Cáceres, a reportagem foi informada que o diretor que falaria sobre o caso estaria em uma reunião e só poderia responder aos questionamentos no dia seguinte.

Sirlei contou ao G1 que desde janeiro deste ano fazia consultas regulares com o médico devido ao problema no rim. Ela disse que ele solicitou exames como ressonância, tomografia e ultrassonografia para chegar ao diagnóstico.

Após mostrar os exames ao médico, em junho, ele marcoU a cirurgia, que foi realizada no dia 6 de agosto.

“Entrei no centro cirúrgico por volta de 11h e saí às 17h. Quando acordei, senti muita dor”, explicou Sirlei.

Ela disse que, ao acordar, foi avisada pelo próprio médico que o rim direito havia sido retirado.

Sirlei contou à polícia que, ao questionar o médico, ele lhe disse que fez a retirada do rim direito durante o procedimento cirúrgico após fazer a apalpação dos órgãos e constatar que o rim esquerdo estava perfeito e que o “rim direito estava podre e desmanchando como um tecido velho”.

“Ele acabou com a minha vida. Não há como devolver meu rim, mas eu espero que a Justiça obrigue esse médico a devolver tudo que eu já gastei e a custear o tratamento”, disse Sirlei.

Ela conta que após a cirurgia continuou passando mal. Foi quando juntou todos os exames e foi para Cuiabá, onde reunião uma junta médica para analisar seu caso.

Devido as dores que sente, Sirlei precisou deixar o emprego. "Agora minha vida se resume a remédios e dores", conta ela.

Segundo ela relatou no BO, os médicos de Cuiabá analisaram os exames e afirmaram que não havia necessidade da retirada de nenhum dos dois rins.

A Polícia Civil investiga o caso.

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) foi procurado pelo G1 e afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que vai se posicionar assim que tomar conhecimento sobre o suposto caso de erro médico.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.8%
4.6%
19.6%
74.0%