19/06/2013 às 16h55min - Atualizada em 19/06/2013 às 16h55min

Pingas, celulares e chuços são apreendidos em revista de cadeia superlotada

Olhar Direto
Olhar Direto

Os agentes prisionais realizam na tarde de terça-feira (18) uma revista na cadeia de Barra, que está interditada para novos detentos, porém enfrenta problemas de superlotação e condições precárias do prédio.

Foram apreendidos mais de 30 aparelhos, carregadores de celulares, chuços e entorpecentes. Os agentes prisionais contam com apoio da Polícia Militar (PM) que acompanha o serviço. O diretor da cadeia, Edsionomar Maciel Gonçalves, também está à frente do serviço de revista. A cadeia foi construída para 65 presos e está hoje com 82.

“Essa é mais completa revista que já houve na unidade prisional com objetivo de preservar até mesmo a segurança dos próprios detentos”, frisou. Foram encontradas algumas garrafas pet com a pinga artesanal que é feita pelos próprios detentos.

Edsionomar informou que nesta quarta-feira haverá uma reunião da direção da cadeia com o juiz Bruno Marques de Oliveira para definir os detalhes da reforma da cadeia prevista para ser executada em 60 dias. “Eu acredito que vai demora um pouco mais que serão feitas algumas celas a mais”, destacou.

Enquanto isso a unidade prisional continua interditada para novos detentos. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%