22/11/2018 às 19h30min - Atualizada em 22/11/2018 às 19h30min

Morre produtora que morou em Barra do Garças e se tornou referência na cultura mato-grossense

Artistas de Barra do Garças e da região lamentaram a morte de Magna e destacaram a contribuição dela com os projetos culturais do Araguaia

Lidiane Barros - O Livre / Ronaldo Couto
Araguaia Notícia
A morte da produtora cultural Magna Domingos, na noite de quarta-feira (22/11), entristeceu todos os profissionais e colaboradores da cultura de Mato Grosso. Ela era considerada uma das personalidades mais representativas do segmento.

Magna estava internada num leito da UTI da Santa Casa de Cuiabá. Segundo relato de amigos, havia passado por um procedimento de cirurgia bariátrica, mas teria sido vítima de complicações em decorrência de uma hemorragia.

O cantor e compositor de Barra do Garças, Divino Arbues, lamentou profundamente a morte de Magna na rede social. Ele destacou o brilhantismo e a sensibilidade de Magna que conduziu vários projetos culturais no estado e alguns enviados por artistas do Vale do Araguaia.

“Ela estava em plena atividade inclusive falou comigo na semana passada pra eu me apresentar no Sesc Parque Cuiabá”, frisou Divino.

Magna nasceu na cidade de Ponte Branca, na região do Alto Araguaia, e morou por vários anos em Barra do Garças onde criou vinculo afetivo com a região do Vale do Araguaia.

Apaixonada por artes plásticas, músicas e estava morando em Cuiabá aonde conduzia projetos culturais no Pavilhão das Artes e pretendia criar um museu na Residência dos Governadores. “Ela me convidou para um intercambio em Portugal porque o trabalho dela transcendia Mato Grosso e chegava até o exterior”, comentou Divino.

O cantor barra-garcense disse que a região do Araguaia perdeu uma amiga de muita data que sempre acompanhou de perto os projetos protocolados na Secretaria de Cultura do Estado.
 
Repercussão

A notícia do falecimento da produtora, casada com o artista plástico Gervane de Paula, e mãe do pequeno Georges e do jovem Yori, já repercute entre a classe artística e é grande o pesar.

Atualmente, a profissional ativa e multifuncional gerenciava o espaço cultural Boca das Artes – que funcionava no bairro Araés – e ainda, atuava como coordenadora de Cultura no Sesi-MT.

Paralelamente, aguardava a concretização de um contrato com a Secretaria de Estado de Cultura. Sua associação havia sido contemplada em edital e ela aguardava o repasse para viabilizar a retomada das atividades do Museu de Arte de Mato Grosso, justamente em um local simbólico, o Palácio da Instrução, em que outrora funcionou sob sua gestão, como Pavilhão das Artes.

Devido às complicações ela teria sido levada para a UTI, mas depois de duas paradas cardíacas – que agravaram seu estado de saúde – ela não teria suportado.

Segundo anúncio da família, o velório será na Sala Lírios da Capela Jardins, a partir das 4h. (atualizado às 23h24)

Notícia gera comoção

Na classe artística é grande a repercussão da notícia de seu falecimento. Nas redes sociais amigos se manifestam e exaltam sua contribuição ao cenário das artes mato-grossense, sua sensibilidade artística e humanismo.

“Falei com ela neste feriado. Um telefonema onde Magna positivamente olhava pra frente, contava com a expansão do prazo no edital que ela conquistou deste governo. Edital do Museu no Palácio da Instrução. Magna torcia que o novo governo de Mauro Mendes pudesse reabrir o Museu com o projeto que ela e Jeff Keese levantaram minuciosamente em muitos meses. Foi muita dedicação, muita, muita energia ali. Ela falava sobre visitas escolares projetos com jovens artistas, o Museu como uma fonte de referência essencial. Falou sobre o festival do SESI com crianças e a necessidade de seguirmos acreditando na arte como ferramenta para melhorar a cultura deste lugar. Mato Grosso perde uma guerreira corajosa, atual e atuante, capaz e muito generosa.Saudades, que saudades dessa grande amiga”, disse o multiartista e produtor cultural, Luiz Marchetti

“Minha querida amiga, parceira na arte e de tantos projetos, Magna Domingos fez sua passagem; A arte de Mato Grosso está de luto”, disse Jeff Keese, que a seu lado desenvolvia o projeto de retomada do Museu de Artes de Mato Grosso
“Magna querida, você fará muita falta neste mundo hostil. Sua alegria, sua disposição para os planos mais loucos deixará um vazio em nós. Choro a sua ausência. Que sua família encontre conforto nas lembranças dessa mulher linda, corajosa, generosa”, disse a crítica de arte e professora doutora da UFMT, Ludmila Brandão.

“Acaba de partir uma grande amiga e uma das profissionais mais importantes pra cultura de Mato Grosso. Magna Domingos foi uma mulher incrível. Tive o prazer de conviver com ela em diversos projetos e pude aprender com sua generosidade, inteligência e leveza. Você fará muita falta, amiga. Deus conforte a família e amigos”, disse o ator e diretor, Thyago Mourão.

“Conheci Magna em 2006, na época ainda no Sebrae e desde então a vi fazer muita coisa, sempre alegre, sempre falando de coisas avançadas no campo da cultura, com o pensamento lá na frente. Esses dias mesmo conversamos sobre um trabalho que ela planejava fazer aqui em Lisboa, uma pena e uma grande perda para MT e para o Brasil. Um abraço a Gervane e aos filhos”, disse o documentarista radicado em Lisboa, Dewis Caldas.

“Magna Domingos amava o que fazia, era dedicada e competente. Também se dedicava a ser mãe de Georges, ser avó e companheira de Gervane de Paula. Uma mulher com muitos sonhos para que nossa cultura mato-grossense continuasse potente e viva. Hoje todos nós choramos pela sua partida e pedimos que seus ancestrais e guias a acolham nessa nova caminhada. Vc sempre estará em nossos corações em amor e em coragem para continuarmos nessa caminhada. Nossos sentimentos à todos os familiares e força para atravessar esse momento”, disse a artista plástica Ruth Albernaz.

Em nota, o Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea, da Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGECCO-UFMT), também e manifestou. Ela era também aluna do curso de Mestrado: “Docentes e discentes do PPGECCO-UFMT manifestam solidariedade à família e aos amigos de Magna Domingos, em especial ao artista plástico Gervane de Paula, marido da aluna”, diz a nota.

Ativa e multifuncional

Gestora cultural, formada em Comunicação Social/ Jornalismo pelo IVE era também pós-graduada em Planejamento e Gestão Cultural pela UNIC. Atuava na área cultural desde 1994, como produtora e gestora cultural. Assinou as quatro edições do Salão Mato-grossense de Fotografia realizado pelo SEBRAE/MT.

Realizou o Prêmio Bolsa de Pesquisa Fotográfica Arne Sucksdorff. Atuou como gerente de Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura, coordenadora de Ações Artísticas e implantou o Pavilhão das Artes.

Trabalhava com elaboração e execução de projetos culturais, captação de recursos, pesquisa e prospecção de mercado, organização de feiras, turnês, exposições, rodadas de negócios, shows, seminários, cursos, palestras e missões; projetos de integração latino-americano e lusófonia.

Organizou e palestrou no Circuito de Integração, na Bolívia, em 2009. Realizou a Exposição “Paisagens” em Lisboa. Além de atuar de forma mais intensiva nas artes visuais, também foi responsável pela produção executiva da Orquestra do Estado de Mato Grosso entre os anos de 2006 e 2008.

Organizou e publicou o livro Mato Grosso Território de Imagens, em 2008, pela Editora Entrelinhas e foi responsável pela produção executiva do projeto Dalva de Barros 80 anos que originou em uma exposição que circulou por cidades mato-grossenses nos anos de 2015 e 2016.

Atualmente trabalhava como analista de Arte e Cultura do Sesi-MT ao tempo em que realizava consultoria do SEBRAE na aérea de Economia Criativa e Cultura. Também estava à frente do Espaço Boca de Artes e era sócia da empresa Dom Produções.
Notícias Relacionadas »
Comentários »