13/11/2018 às 13h16min - Atualizada em 13/11/2018 às 13h16min

Empresário é detido suspeito de chamar PM de 'negrinha safada' e 'policinha de merda' em MT

Ele alega que PM e o namorado dela invadiram a propriedade dele. Suspeito já havia sido detido em 2015 por ter chamado outro policial de negão.

G1 MT
Araguaia Notícia
Um empresário foi detido suspeito de ter chamado uma policial militar de 'negrinha safada' e 'policinha de merda' durante uma discussão em uma região de balneários na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital. A situação ocorreu no domingo (11).

Ao G1, Antônio Marcos Alves da Costa, de 43 anos, negou ter ofendido a policial. Ele foi ouvido pela polícia e liberado no mesmo dia.

Em 2015, quando era suplente de vereador, Antônio Marcos foi detido em uma situação semelhante. Ele chamou um tenente da PM de 'negão', em Cuiabá, e acabou preso.

Segundo a Polícia Militar, a situação ocorreu no final da tarde de domingo. A policial, de 26 anos, contou que estava de folga com o namorado tomando banho de rio e que foram abordados por Antônio Marcos. O nome dela não foi divulgado pela PM.

O empresário afirmava que a policial e o namorado haviam invadido a propriedade dele. Durante a discussão, a policial relatou que o empresário jogou um chinelo dela na água e ainda tentou jogar a bolsa dela no rio.

A PM denunciou o empresário depois que ele a teria ofendido chamando de 'vagabunda', 'negrinha safada' e 'policinha de merda'.

Tanto a policial quanto o empresário chamaram a PM no local. Os policiais afirmaram, no boletim de ocorrência, que a mulher do empresário estava exaltada e que impedia os PMs de conversarem com o suspeito.

Na confusão, a mulher e o empresário acabaram detidos depois de xingarem novamente a vítima e resistirem ao serem abordados pelos policiais.

“Em momento nenhum eu a xinguei. Eu falei que eles [a policial e o namorado] tinham invadido minha propriedade e eles não gostaram”, declarou o empresário ao G1.

O casal foi encaminhado à Central de Flagrantes de Cuiabá, onde foi liberado depois de prestar depoimento. O empresário disse que prestou queixa contra a policial.

Sobre o episódio em que foi detido em 2015, Antônio Marcos disse que ganhou um processo judicial contra o policial já que supostamente não teria sido comprovado que ele o havia xingado.

Naquele ano, ele havia alegado que não chamou o PM de 'negão' e sim de 'meu preto'. Para ele, foi uma forma carinhosa de se referir ao policial que, segundo ele, estaria exaltado.
Notícias Relacionadas »
Comentários »