11/06/2013 às 13h22min - Atualizada em 11/06/2013 às 13h22min

Assassino agiu por ciúme e disse estar arrependido

Agência da Notícia
Reprodução

O enfermeiro Evanderly de Oliveira Lima, de 44 anos, ex-marido da juíza Glauciane Chaves de Melo, 42, confessou ter assassinado a magistrada na última sexta-feira (7). Segundo a polícia, ele se disse "arrependido" de ter cometido o crime.

A juíza foi morta a tiros pelo ex-marido dentro de seu gabinete, no Fórum de Alto Taquari (479 km ao Sul de Cuiabá). O enfermeiro foi capturado pela polícia na manhã desta segunda-feira (10).

Lima estava escondido em uma região de mata densa, a 15 km da cidade de Alto Taquari. Ele foi capturado por oito policiais do 15º Batalhão de Polícia Militar de Alto Araguaia.
 

"Ele não resistiu à prisão. Com exceção de alguns arranhões causados pela mata, ele aparentava estar bem fisicamente"

De acordo com o comandante do batalhão, capitão Fernando Augustinho de Oliveira Galindo, que participou diretamente da prisão, o enfermeiro estava apenas com a roupa do corpo – ele vestia calça e camiseta pretas – e aparentava estar exausto.

Ao Midianews, Galindo afirmou que Lima não tentou fugir ao ser encontrado pelos policiais.

“Ele não resistiu à prisão. Com exceção de alguns arranhões, causados pela mata, ele aparentava estar bem fisicamente, apenas exausto pela falta de comida e de água”, disse.

Segundo o capitão, o enfermeiro reclamava de câimbras e se dizia constantemente arrependido do crime.

“Ele dizia que não pretendia cometer o crime, mas que estava com ciúme do novo relacionamento da juíza e que se sentia traído. Ele tinha consciência da gravidade do que fez, estava 100% lúcido e ficava repetindo que estava arrependido”, relatou o policial.

Buscas

Segundo o capitão, aproximadamente 35 policiais militares das regionais de Alto Araguaia e Rondonópolis estavam dentro da mata na manhã desta segunda-feira (10).

Desde a última sexta-feira, a polícia realizava buscas pela região, fechando o cerco no município para evitar a fuga do enfermeiro para os estados de Mato Grosso do Sul e Goiás, que fazem fronteira com Alto Araguaia.
 

"Ele dizia que não pretendia cometer o crime, mas que estava com ciúme do novo relacionamento da juíza e que se sentia traído"

Lima foi levado para o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc), onde será interrogado pelo delegado João Ferreira Borges, que conduz as investigações.

Ao MidiaNews, Borges afirmou que o enfermeiro será autuado em flagrante por homicídio qualificado – com motivo torpe e que impossibilitou a defesa da vítima.

Ao todo, quase 100 policiais civis e militares atuavam nas buscas pelo suspeito. De acordo com o delegado, todas as fazendas localizadas na região do Araguaia estavam sendo vistoriadas pela Polícia Civil, enquanto a Polícia Militar atuava no cerco da região de mata onde o suspeito poderia ter se escondido.

Inquérito

A polícia trabalha com a hipótese de crime passional, uma vez que o enfermeiro não teria aceitado o fim de seu relacionamento com a juíza, encerrado em dezembro do ano passado.

O crime

A juíza Glauciane Melo, 42, foi assassinada com dois tiros na nuca, dentro de seu gabinete, no fórum municipal.

O suspeito, que já teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, teria ido ao fórum e, após uma discussão com a magistrada, teria efetuado os disparos. Ele abandonou a arma, um revólver calibre 38, nas imediações do local e fugiu em seguida.

Segundo Borges, o enfermeiro não tem passagens pela polícia.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%