21/05/2013 às 12h08min - Atualizada em 21/05/2013 às 12h08min

Depois de protestos de internautas, sucuri 'Baby' volta a Serra Azul e perde uma presa

Olhar Direto
Edevilson Arneiro / Fotógrafo Profissional

Após os protestos de alguns internautas que foram contra a retirada da sucuri de seis metros, batizada de Baby, de uma cachoeira de Barra do Garçasda, os colaboradores da Associação dos Protetores 'Amigos dos Animais' devolveram, segunda-feira (20) a cobra ao seu habitat natural, porém, desta vez em outro lugar, no fundo da Serra Azul bem longe da civilização.

No momento da soltura, Baby mostrou que não é de brincadeira e deu uma bocada em um dos colaboradores da associação e foi necessária a intervenção de outra pessoa para soltar o colaborador. A sucuri acabou perdendo um presa durante essa situação. Os técnicos acreditam que isso não é problema e que Baby deve se adaptar ao novo lar. Desde que foi capturada sábado (18) por dez homens na terceira cachoeira da Serra Azul, internautas tem dado opinião no Olhar Direto e no Facebook contrários a retirada da cobra da cachoeira.

Os internautas alegam que a cobra estava no seu habitat e que são os homens que estão interferindo nessa situação.

O diretor do Parque Serra Azul, Pedro Fernando, explica que a decisão foi acertada porque se Baby permanecesse naquela cachoeira poderia ser abatida por algum depredador ou trazer risco para algum turista. A sucuri foi encontrada escondida dentro de uma fresta do paredão da cachoeira.

“Essa cachoeira é muito freqüentada e o risco realmente existia tanto para a cobra, como também para os visitantes do parque”, comentou por causa da proximidade com a civilização essa cachoeira não seria mais o lugar ideal para Baby ficar.

As sucuris podem atacar se estiverem acuadas ou até mesmo com fome. Os biólogos da Sema informaram que a sucuri tem a força equivalente há vinte homens. No momento da captura, o ambientalista Francisco Garrincha segurou a cabeça da cobra e quase foi surpreendido pelo rabo da cobra. A sorte é que um funcionário viu e segurou.

A sucuri pode atingir até doze metros. A dona-de-casa Vilma do Povo, morador do bairro Abel Lira, conta que o pai dela já matou um exemplar de doze metros, porém isso há muito tempo atrás quando as sucuris ainda atacavam bezerros e cachorros e isso aconteceu numa fazenda às margens do rio Xingu, na década de 90. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%