15/05/2013 às 12h19min - Atualizada em 15/05/2013 às 12h19min

Polícia não tolerará mais ataques de índios, diz coronel

Olhar Direto
Olhar Direto

O coronel da Polícia Militar, Jorge Luís, informou que Estado não tolerará mais saques dos índios xavantes em Nova Xavantina e a polícia deve agir nas próximas tentativas dos indígenas em Nova Xavantina, a 650 km de Cuiabá. Esse foi o recado do comandante da PM durante reunião com caciques e representantes da FUNAI na manhã de terça-feira (14) após os índios saquearem o supermercado Peg Pag Avenida.

A onda de saques começou após que um indígena foi baleado por brancos domingo (12) durante uma briga. Com argumento de que estão atrás dos suspeitos, os índios estão entrando na casa de parentes ou amigos dos suspeitos. São mais de cem índios e alguns portando bordunas, arcos e flechas e pintados como se fossem para guerra.

Durante o saque ao supermercado, os índios carregaram fardos de arroz, feijão, macarrão, óleo, biscoito, refrigerantes e utensílios e usaram um caminhão para transportar os mantimentos. A polícia assistiu a tudo pelo lado de fora e moradores filmaram a ação dos índios com câmeras e celulares.

“Nós pedimos reforço e a Polícia Federal está aqui para nos ajudar na negociação com os índios”, destacou o coronel Jorge Luís. Uma nova reunião acontece na tarde desta terça-feira para terminar a ação dos índios.

O comandante da PM espera que os indígenas compreendam o apelo da polícia e voltem para as aldeias o quanto antes. Em menos de 48 horas, eles saquearam quatro casas segunda-feira e um supermercado terça-feira carregando aparelhos de TV, de som, ventiladores, botijões de gás e quatro motos. Do supermercado foram vários fardos de arroz, feijão, macarrão, refrigerantes, bebidas e biscoitos.

Os índios começaram a saquear após o índio Levi Xavante ser baleado com seis tiros por dois jovens domingo (12). Com argumento que estão atrás dos suspeitos, eles adentram casas e acabam pegando objetos.

PRISÃO

O coronel Jorge Luís ressaltou que um dos suspeitos da tentativa de homicídio a Lino Xavante, o jovem Bruno Maninho conhecido como Cabeção foi preso em Primavera do Leste e que outro envolvido Deco está próximo de ser detido também. “Nós acreditamos que detenção dos suspeitos cessará essa onda de crimes dos indígenas”, destacou.

O clima de medo tomou conta de Nova Xavantina com as pessoas temendo investidas dos índios que estão armados com bordunas, arcos e flechas e pintados como se fossem para guerrra. Cerca de quarenta policiais de outras cidades reforçam o policiamento em Nova Xavantina com três guarnições da Força Tática. Segundo o coronel, a polícia pretende negociar até último instante, porém não permitirá mais nenhum saque. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%