08/08/2018 às 17h37min - Atualizada em 08/08/2018 às 17h37min

Adolescentes invadem casa, fazem família refém e matam jovem

Midia News
Dois adolescentes – de 15 e 16 anos – foram detidos na madrugada desta quarta-feira (8), suspeitos de matarem o jovem Eder Késsio Ramos de Almeida, de 18 anos, com um tiro na cabeça, durante uma tentativa de roubo em Rondonópolis (220 km de Cuiabá).

Além de Eder, estavam na casa outras cinco pessoas – seu pai, um casal de irmãos, ambos de 20 anos, e mais um rapaz, de 21 anos.

Um dos irmãos da vítima também foi baleado na perna, mas não corre risco de morte.

Segundo consta no Boletim de Ocorrência, os criminosos invadiram a casa das vítimas por volta de meia-noite e, após anunciarem o roubo, amarram as mãos de todos nas costas.

A Polícia Militar relatou que fazia rondas quando estranhou ver a porta da casa das vítimas aberta e um veículo Toro vermelho estacionado na entrada, também com a porta do motorista aberta.

Os policiais se aproximarem e, ao perceberam a movimentação, anunciaram a sua presença. Neste momento, foram ouvidos disparos dentro da residência e os suspeitos saíram correndo da casa.

Os adolescentes tentaram fugir, mas foram pegos. As vítimas conseguiram se soltar e passaram a agredir a dupla com chutes e socos.

Conforme o BO, Eder chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital Regional de Rondonópolis, mas morreu pouco tempo depois.

Os assaltantes também receberam atendimento na UPA da cidade e, em seguida, foram encaminhados para a 1ª Delegacia de Polícia Civil.

As vitimas contaram que conhecem os suspeitos. Os adolescentes seriam seus vizinhos e frequentadores da casa deles, inclusive conhecendo a rotina de todos.

Os suspeitos devem ser ouvidos ainda na manhã de hoje pelo delegado plantonista da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Rondonópolis. O caso é tratado como latrocínio (roubo seguido de morte).
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%