27/07/2018 às 14h57min - Atualizada em 27/07/2018 às 14h57min

Acusados de matarem aposentada em Aragarças já tinham homicídios nas costas e estavam 'soltos'

Jucélia estava solta alegando que tinha problemas mentais e Lorisvaldo fica solto durante o dia com tornozeleira eletrônica

Ronaldo Couto
Araguaia Notícia
Autores já eram reincidentes com homicídio / vítima aposentada dona Elza
A Polícia Civil de Aragarças com apoio da Polícia Militar de Mato Grosso deu uma resposta rápida prendendo os dois autores do crime brutal que ceifou a vida da aposentada Elza Aparecida Flores Santos, 66 anos, vítima de sequestro seguido de latrocínio.

Os dois envolvidos são amasiados e já respondiam por homicídios e estavam em liberdade. Jucélia Alves dos Santos, 42 anos, porque entrou com recurso alegando que tem distúrbios mentais e Lorisvaldo Francisco Rocha, 47 anos, estava de tornozeleira com o benefício de ficar durante o dia em casa. Eles combinaram o crime com objetivo de roubar o carro da aposentada que foi sequestrada e morta na sequencia.

Jucélia estava presa, mas foi libertada após a defesa dela alegar no Poder Judiciário de que ela tem distúrbios mentais. Em 2015, ela foi acusada de participar da morte do enfermeiro aposentado Leonídio Borges Leal com quem morou no passado.  Na época, ela disse que o companheiro teria sofrido um acidente doméstico com uma queda. Porém após apuração da polícia, foi condenada por homicídio do enfermeiro. Mas o Judiciário acabou soltando Jucélia.

E ela voltou aprontar e na companhia do seu novo companheiro Lorisvaldo Francisco Rocha, 47 anos, matou a dona de casa e aposentada Elza de forma covarde e cruel. Lorisvaldo também responde por homicídio cometido em Nova Xavantina e ajudou a Jucélia levar à senhora até o local do crime na Br 158 próximo ao Vale dos Sonhos.

A equipe do competente delegado, Ricardo Galvão, com apoio da PM de Mato Grosso, apurou que Jucélia planejou roubar o carro da vítima, um EcoSport, e para isso contou com a ajuda do companheiro Lorisvaldo.

No dia em questão, o casal criminoso deslocou até a residência da vítima, oportunidade em que a vítima foi amarrada e colocada dentro de seu próprio veículo.

Posteriormente, Jucélia e Lorisvaldo deslocaram em direção a BR 158, sentido Nova Xavantina/MT e aproximadamente no KM 51, eles entraram em uma estrada vicinal e lá asfixiaram a vítima com um torniquete em volta de pescoço da aposentada, após a ação, o casal escondeu o corpo da vítima meio ao matagal.

Com o desaparecimento da vítima, iniciaram-se as diligências, onde a equipe constatou que Jucélia estava na residência no dia anterior aos fatos juntamente com Lorisvaldo.

Em continuidade, a equipe encontrou Jucélia e Lorisvaldo horas depois, na residência do casal, oportunidade que ao verificar a residência, diversos objetos pessoais da vítima foram encontrados.

Diante dos fatos, os envolvidos ainda negaram qualquer envolvimento no crime, todavia, levantou-se o histórico de localização da tornozeleira eletrônica do suspeito Lorisvaldo que indicou a região onde estaria escondido o corpo.
Diante disso, Jucélia e Lorisvaldo confessaram o crime dizendo que o objetivo foi roubar o veículo, o qual foi trocado em outros dois carros usados. O casal já estava na posse do carro adquirido na negociação.

O delegado Ricardo Galvão destacou que a Polícia Civil de Aragarças contou com apoio da PM de Barra do Garças com participação do serviço reservado e do sistema penitenciário.  Outras instituições que auxiliaram direita e indiretamente na ação: PMGO/PCMT/PRF/POLITEC GO/SISPEN MT
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%