18/07/2018 às 07h34min - Atualizada em 18/07/2018 às 07h34min

Acusado de triplo homicídio em Aparecida de Goiânia é preso em Mato Grosso

Assessoria / PJC - MT
Araguaia Notícia
Em apoio da Polícia Civil do Estado de Goiás, a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso prendeu, na madrugada desta terça-feira (17), o autor de um triplo homicídio ocorrido em Aparecida de Goiânia (GO), no ano de 2013.
 
Jhonan Ferreira Brandão,  23 anos, estava foragido pelo brutal assassinato de uma família. Motivado por uma rixa ligada ao tráfico de drogas, o suspeito matou Edson Teixeira Aires, 24 anos, sua sobrinha Ana Clara Teixeira Tavares, de 7 meses de idade, que estava no colo da mãe, que também ficou ferida, mas sobreviveu. A família foi morta dentro de um carro dirigido por Edson, no dia 14  de dezembro de 2013.

O criminoso, em outro automóvel, parou ao lado e efetuou vários disparos. Edson foi atingido com 4 tiros, a mãe baleada na mão e a criança na cabeça, tendo sido socorrida, mas morreu dias depois. Em 6 de abril de 2014, ele sequestrou e matou Edleusa Teixeira Tavares, a tia da vítima Edson porque ela havia procurado a Polícia para denunciá-lo.
 
Inicialmente, a Polícia acreditava que o crime estava relacionado a uma briga de trânsito, mas com a evolução da investigação descobriu-se que era motivado por um rixa entre vítima e autor.
 
Com  informação de que o suspeito estava escondido em Mato Grosso, a Polícia Judiciária Civil, por meio da DHPP,  vinha deste maio de 2018, com apoio da Diretoria de Inteligência, tentando efetuar a prisão do criminoso. Foram meses de investigações levantamentos e diligências, que levaram a prisão do criminoso em Cuiabá.
 
Nesta madrugada, uma ação de policiais da Delegacia de Homicídios desenvolvida em conjunto com policiais da Gerência de Operações Especiais (GOE) e a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERRFVA), prendeu Jhonan no bairro Tancredo Neves, na região da Grande Morada da Serra, após mais de oito horas em vigilância.
 
Todo o trabalho é fruto da integração e apoio das diversas unidades envolvidas para o cumprimento do mandado de prisão preventiva, contra o homicida que permanecia impune desde o crime. As investigações na DHPP foram conduzidas pelo Núcleo de Inteligência com apoio da núcleo operacional da unidade.
 
O preso foi entregue na Polinter para formalização do cumprimento da ordem judicial.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%