26/04/2013 às 18h17min - Atualizada em 26/04/2013 às 18h17min

Secretário diz que morte de crianças indígenas é mentira; enfermeira confirma e o convida para ver covas

Olhar Direto
Olhar Direto

O secretário de saúde de Alto Boa Vista, ex-vereador Juraci Rezende Alves, taxou de irresponsável a informação do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) sobre a morte de três crianças na aldeia Marãiwatsédé em Alto Boa Vista, no mês de março deste ano. Durante pronunciamento na Câmara de Alto Boa Vista, Juraci criticou a imprensa por repercutir a matéria e desafiou qualquer cidadão a mostrar os corpos das crianças. Ele alega que ninguém da área da saúde tomou conhecimento destas mortes.

A declaração do secretário foi rechaçada pela enfermeira do Sesai, Lúcia Oliveira Nunes, que há dois anos atua na aldeia Marãiwatsédé. Ela confirmou os óbitos e que realmente as três crianças são netas do cacique Damião e convidou o secretário a visitar as covas na aldeia. Lúcia disse que essa reação do secretário demonstra que alguns políticos de Alto Boa Vista nunca gostaram dos índios por causa do embate da Suiá-Missú.

A enfermeira explicou que o primeiro óbito aconteceu dia 7 de março de uma menina de dois anos; no dia 17 de março, faleceu um menino de 1 ano e dois meses; e no dia 23 de março, mais uma menina também de 1 ano e dois meses. As crianças morreram com sintomas de diarréia, vômito e desidratação. Uma das suspeitas seria a contaminação da água dos índios pelo uso excessivo de agrotóxicos.

Sobre as declarações do secretário, a enfermeira disse que nem o conhece, mas mesmo assim o convidou para conhecer a aldeia. Lúcia explicou que os índios preferem ser atendidos em Bom Jesus do Araguaia a 50 km de aldeia; a mesma distancia para a sede de Alto Boa Vista. Todavia, ela destacou que o município de Alto Boa Vista faz muito pouco pela saúde de Marãiwatsédé mesmo recebendo uma verbal mensal de R$ 160 mil. “A prefeitura de Bom Jesus nem recebe e nos atende melhor”, frisou.

Ainda na Câmara Municipal, o secretário Juraci criticou a imprensa do Araguaia por repercutir a notícia divulgada pelo CIMI e segundo ele sem ouvir a prefeitura de Alto Boa Vista. O secretário insiste que os óbitos são mentirosos com objetivo de prejudicar a imagem da cidade.

O secretário mandou uma notificação extrajudicial para os sites da região para retirar a matéria do ar. O documento foi assinado pelo assessor jurídico da prefeitura, José Genilson.

Na notificação, o assessor estipula prazo de 48 horas para retirar a matéria do ar. Os sites da região não atenderam e classificaram como um ataque a liberdade de imprensa.

Perguntado se teria alguma coisa contra a presença dos índios em Alto Boa Vista, o secretário Juraci se negou a falar do assunto, segundo ele, porque de nada adiantaria a opinião dele, após a decisão de devolver a área da Suiá-Missu para os índios. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%