29/06/2018 às 20h09min - Atualizada em 29/06/2018 às 20h09min

Índio procura polícia e diz que esposa teria sido assediada por funcionário da Funasa em Barra do Garças

Um inquérito policial foi aberto e já ouviu todas as partes mencionadas. O índio insiste com este assunto e procurou a imprensa para pedir apuração

Araguaia Notícia
Índio procura imprensa depois de denunciar na polícia possível assédio
Um caso no mínimo muito esquisito está sendo acompanhado pela Polícia Civil na região de Barra do Garças, divisa de Mato Grosso e Goiás. Um índio xavante denunciou que a esposa dele teria sido assediada sexualmente por um funcionário da Funasa num suposto envolvimento amoroso. O homem teria oferecido vantagens à mulher, todavia - ele que já foi ouvido na delegacia - nega o caso e diz que tudo isso não passa de uma armação para prejudicá-lo.

A denúncia partiu do indígena R.E., 45 anos, que descobriu essa situação há três meses quando a esposa I.P., 22 anos, confessou o suposto relacionamento extraconjugal. Ela contou que recebia presentes do homem branco. A jovem diz que teria engravidado, mas que perdeu o bebê numa queda no banheiro.

Orientado por caciques da aldeia, o índio procurou a polícia para denunciar o fato em virtude de que homem em questão atua num órgão responsável pela saúde indígena. A investigação está sendo feita em Aragarças-GO na divisa com Barra do Garças porque teria ocorrido no município goiano. 

“Ele ligava no telefone dela para marcar encontros e no primeiro encontro ofereceu 20,00 pra minha esposa. Minha mulher errou eu sei disso, mas ela foi enganada por branco”, disse o índio que após procurar a delegacia foi também na imprensa no site Araguaia Notícia e na Tv Band de Barra do Garças.

A mulher esteve junto com esposo na emissora e comentou que está arrependida do que fez e afirmou que ainda ama o esposo que é trabalhador. “Eu fui enganada”, frisou.

O site Araguaia Notícia esteve na delegacia de Aragarças e buscou mais informações sobre este caso. O delegado Ricardo Galvão está viajando, porém conseguimos apurar que um inquérito foi aberto e que o funcionário da Funasa já foi ouvido onde ele nega veementemente este envolvimento amoroso com a índia.   

Os prazos estão correndo e a tendência é que a denuncia pode ser arquivada no futuro por falta de provas.
Notícias Relacionadas »
Comentários »