25/06/2018 às 18h01min - Atualizada em 25/06/2018 às 18h01min

Jovens riem e fazem vídeo zombando de rapaz que agonizava após levar 4 tiros em Aragarças; a vítima não resistiu e morreu

As imagens do vídeo são muito fortes e desumanas. O vídeo circulou nos grupos e já está nas mãos do delegado Ricardo Galvão.

Araguaia Notícia
Já está em poder da Polícia Civil de Aragarças, do delegado Ricardo Galvão, um vídeo onde um grupo de garotos zomba literalmente do rapaz Ygor Ronan Figueiredo Matos, 20 anos, que foi assassinado com quatro tiros pelas costas quando saia de uma boate na avenida Beira Rio.

O vídeo foi gravado logo depois do rapaz ser baleado perto da Praça da Travessia. Ele está agonizando no chão. A gravação é muito forte e desumano e por isso o site Araguaia Notícia optou em não publicá-lo. Um grupo de rapazes e moças aparece filmando a vítima baleada no chão agonizando.

Eles riem e ficam zombando que o rapaz estaria morrendo e perguntando se era para chamar o Samu ou IML, explica o delegado Ricardo Galvão ao Araguaia Notícia que analisa o vídeo para tentar identificar autores ou testemunhas do fato. Um dos rapazes ri e diz que era para solicitar a viatura do IML porque a vítima já era. Outro rapaz, de chinelo branco, chega a pisar nas costas do rapaz baleado. Já outro individuo toca com os dedos no corpo da vítima e debochando a todo instante riem e falam que ali é Aragarças e que esse fato demorou para acontecer. Ygor não resistiu e morreu.

Ygor era usuário de drogas de Barra do Garças e saiu de casa com proposito de se divertir na boate. Testemunhas informaram que houve um desentendimento dele com dois rapazes na festa. Porém como estava sozinho, Ygor pediu desculpas e falou que não queria encrenca e saiu da boate para ir embora. Pegou um moto-taxi pra casa.

Só que ele não andou muito tempo porque foi logo alcançado pelos executores que estavam numa outra moto e efetuaram seis disparos sendo que quatro acertaram a vítima. Por pouco os disparos não pegam no moto-taxista, que correu e deixou o capacete para trás. Ygor morreu com o capacete na cabeça explicou policiais que acompanharam a ocorrência ao site Araguaia Notícia.
 
A polícia acredita que o crime foi motivado por uma possível rixa entre facções criminosas que atuam na região de Barra do Garças e Aragarças.Ele era morador da rua Egídio Cipriano de Carvalho no bairro Santo Antônio. A família disse que Ygor era dependente químico, todavia não era agressivo e não tinha dívida com ninguém.  

O caso será investigado pelo delegado Ricardo Galvão. 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%