25/06/2018 às 14h10min - Atualizada em 25/06/2018 às 14h10min

PSDB diz que vai mostrar realizações do governo Pedro Taques no momento certo

Encontro suprapartidário foi realizado em Rondonópolis neste final de semana. Deputado avaliou que eleitores estão mais críticos

Circuito MT
Araguaia Notícia
Um um encontro suprapartidário realizado em Rondonópolis, as lideranças do PSDB observaram a mudança de comportamento dos eleitores e ponderaram que “para governar é preciso ser paciente”. Ainda, o líder do partido na Câmara Federal e pré-candidato ao Senado, deputado Nilson Leitão, garantiu que a população tomará conhecimento das realizações dos correligionários em momento oportuno.

"O eleitor tem mais informação e está mais crítico. Não dá mais pra subir aqui e trazer conversa fiada e propostas vazias. Aqui é lugar de mostrar o que está sendo feito, a partir daquilo que nós pensamos, sonhamos e realizamos. E temos muito o que mostrar”, observou o deputado durante o evento. “Para governar é preciso ser paciente. A função dos adversários é criticar, mas nós vamos falar de realizações, de obras, do nosso trabalho prestado, de futuro e de esperança”, afirmou.

Para o deputado, a política está diferente: as regras mudaram e o eleitor está "mudando pra melhor".

Na ocasião, o governador Pedro Taques (PSDB) destacou a necessidade de se manter um diálogo, mas também afirmou que não se pode "ficar de falatório sem ter o que mostrar", uma crítica ao candidato da oposição Mauro Mendes (DEM), que foi prefeito de Cuiabá e com quem tem trocado farpas publicamente. 

"Não adianta ficar de falatório e não ter nada pra mostrar. Temos trabalho prestado e entregue em todo o Estado e precisamos continuar juntos para construir mais, e nós estamos aqui porque estamos preparando um novo momento para Mato Grosso. O futuro é aquilo que nós construímos juntos até agora para o nosso Estado", pontuou o governador.

Taques, que tem sido atacado pelos adversários por causa das dívidas estaduais, tornou a falar na crise financeira e na recesssão que afetaram o país. O chefe do Executivo disse que assumiu o governo sucateado, "com corrupção em todos os lugares". 

“Se não tivéssemos controlado a trajetória de gastos com custeio da máquina, o Estado estaria vivendo situação semelhante a outros, como Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Mas nós controlamos, ajustamos as contas e assim a situação financeira do Estado não entrou em colapso e foi possível fazer os investimentos básicos”, afirmou.

Na ocasião, estiveram presentes o governador Pedro Taques (PSDB), o líder do governo na Assembleia Legislativa,Wilson Santos (PSDB), os deputados Guilherme Maluf (PSDB), Ondanir Bortolini , Nininho (PSD), Max Russi (PSB), Dr. Leonardo (PSD), o ex-secretário Carlos Avalone (PSDB), o prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SDD), o ex-secretário Luis Carlos Nigro, e líderes de outros partidos, como PSB, PPS, PRTB, SD, Avante e Patriota.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%