16/06/2018 às 09h43min - Atualizada em 16/06/2018 às 09h43min

Documentário de Barra do Garças recebe prêmio na 7° Mostra/Ecofalante

O filme foi produzido pelo Núcleo de Produção Digital da UFMT campus Araguaia

Assessoria
Araguaia Notícia
Reprodução
O documentário Xavante Memória Cultura e Resistência (Gilson Costa, 2016) foi premiado, na noite desta quarta feira (13), durante a 7° mostra Ecofante de Cinema Ambiental, realizada durante os meses de maio e junho em São Paulo (SP).  O documentário foi escolhido como melhor filme, pelo júri oficial e pelo publico, na categoria curta Ecofalante – instituições de ensino.

Classificado como o mais importante evento audiovisual sul-americano, que aborda e debate temas socioambientais, a mostra Ecoflante contribui e produz projetos que visam o desenvolvimento sustentável do planeta, através da educação e cultura.

Visando incentivar a produção audiovisual de jovens realizadores, universitários, instituições de ensino superior, cursos técnicos e de cursos livres de cinema, o concurso curta Ecofalante selecionou nove filmes oriundos de instituições de ensino de Brasília, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. O documentário produzido pelo Núcleo de Produção Digital/MT - com recursos da Secretaria Estadual de Cultura (edital Tradições 2016) -  e realizado em conjunto com indígenas da etnia Xavante (aldeia Namunkurá), professores e alunos da UFMT/CUA, foi o representante do estado de Mato Grosso e o grande vencedor na categoria.

Essa não é a primeira vez que festivais nacionais e internacionais reconhecem a obra produzida na região do Vale Araguaia. Em 2017, recebeu o premio de melhor documentário, melhor trilha sonora e melhor montagem durante a 15ª edição do Cineamazônia - Festival Latino-Americano de Cinema Ambiental, além de ser exibido em países da América Latina, como Colômbia, Chile e Bolívia.

O documentário Xavante Memória Cultura e Resistência apresenta um dos rituais mais importantes da cosmologia do povo Xavante A’uwé Uptabi: a cerimônia Wapté Mnhõnhõ, que marca a passagem dos jovens para a vida adulta. Segundo Gilson Costa, professor do curso de Jornalismo e diretor da obra, o valor da premiação na mostra Ecofalante, será revertido para a compra de materiais ou equipamentos de audiovisual que serão doados para a aldeia Xavante Namunkurá, local onde o filme foi rodado.

Na categoria Longa-metragem Latino Americano, o grande vencedor foi o documentário “Dedo na Ferida”, do renomado diretor brasileiro Silvio Tendler (dos sucessos “Os Anos JK – Uma Trajetória Política”, “Jango” e “O Veneno Está na Mesa”, dentre outros). No documentário, Tendler discute o fim do estado de bem-estar social, com milhões de pessoas peregrinando em busca de melhores condições de sobrevivência.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%