09/06/2018 às 11h30min - Atualizada em 09/06/2018 às 11h30min

Mulher solicita medida protetiva e esposo acaba preso após se aproximar dela em Bom Jardim

Ele já estava proibido de se aproximar da esposa e por isso foi preso na sexta-feira

Araguaia Notícia
A Polícia Civil da cidade de Aragarças-GO cumpriu na sexta-feira (8/6) um mandado de prisão preventiva em desfavor de B.H.O.M por descumprimento de medida protetiva de urgência solicitada pela esposa na cidade de Bom Jardim de Goiás.
 
De acordo com a polícia, o suspeito - após a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher - teve contra si medida protetiva expedida pelo Poder Judiciário. Todavia, mesmo assim, o acusado voltou ameaçar e aproximou-se da vítima, situação que levou a mulher a procurar a delegacia de polícia, sendo de pronto atendida pela diligente equipe policial cujo fato que resultou no pedido de prisão preventiva do suspeito.
 
A lei bem clara, a partir do momento que é expedida a medida protetiva, o homem não pode mais se aproximar da casa da esposa e caso o faço pode ser preso. Em Barra do Garças, foi criada a patrulha feminina para reforçar esse atendimento as mulheres vítimas de violência.

Terminou em morte 
 
Em Brasília, após uma audiência de custódia um homem foi solto e retornou em casa e matou a mulher. O caso repercutiu em todo o Brasil.

O acusadopassou por audiência de custódia e foi colocado em liberdade provisória com mediante cautelares e a imposição de medidas protetivas em favor da vítima.

Mesmo com a determinação de impossibilidade de procurar a vítima, ele retornou à residência e retirou a vida dela e na sequência tentou suicídio. “Em tal cenário, outra providência não há senão a segregação cautelar, como forma de garantir a ordem pública, preservando inclusive a integridade dos demais familiares”, disse Fernandes.

A prisão gerou a instauração de procedimento criminal distribuído ao Tribunal do Júri de Samambaia, onde os fatos serão apurados e o processo seguirá seu trâmite até o julgamento do autuado. O homem encontra-se hospitalizado. 

Por isso que em algumas situações, a justiça está determinando a prisão preventiva para justamente evitar que crimes coo este de Brasília continua acontecendo, os feminícidios. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%