03/06/2018 às 16h50min - Atualizada em 03/06/2018 às 16h50min

Mais um afogamento na região e desta vez de homem que se jogou da ponte

Este é o terceiro afogamento na região do Araguaia no prazo de uma semana. Dois supostamente teriam sido intencionais. Os bombeiros alertam para o risco de afogamentos na temporada de praia que começará em junho.

NX1 / Nova Xavantina
Araguaia Notícia
NX1
Mais um afogamento foi registrado na tarde de domingo (3/6) na praia do Sol, no rio das Mortes em Nova Xavantina, a 150 km de Barra do Garças. Segundo informações, o fato ocorreu após uma pessoa do sexo masculino, ainda não identificada, ter pulado da passarela por volta das 15h30min e submergiu.

O Corpo de Bombeiros de Nova Xavantina foi acionado e uma equipe de resgate foi até o local; porém, a vítima já havia desaparecido nas águas. Até o fechamento desta reportagem, a equipe dos bombeiros mantinha o trabalho de mergulho em busca do rapaz desaparecido.

Caso se confirme é o terceiro caso de afogamento na região do Araguaia. Em Barra do Garças, na sexta-feira, testemunhas disseram ao Corpo de Bombeiros que viram um homem entrar no rio Araguaia, à noite, e depois desapareceu. 

Familiares acionaram autoridades policiais porque o rapaz procurado em Barra do Garças, Renato Carvalho Leite, estaria com problemas emotivos. Os bombeiros fizeram busca no sábado e domingo desta rapaz. O primeiro afogamento aconteceu dia 27/5, na praia Toledo no rio Garças, onde um jovem foi atravessar o rio e se afogou. O estudante Thiago Falk, 21 anos, que veio para Barra estudar e trabalhar e acabou perdendo a vida. . O corpo dele foi encontrado perto da captação de água no dia 29/5. 

Temporada de Praia 

Os bombeiros têm alertado as familias para ficarem atentas principalmente com crianças na temporada de praia quando é grande o número de pessoas na beira dos rios. A temporada começa agora em junho nas principais cidades do Vale do Araguaia. 

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%