25/05/2018 às 00h02min - Atualizada em 25/05/2018 às 00h02min

Caminhoneiros de Barra do Garças mantêm bloqueio e afirmam que suspensão da greve é mentira do Governo

Um dos líderes do movimento no Vale do Araguaia disse que o movimento continua e que a notícia sobre fim da greve está sendo semeada pelo Governo para desestimular os caminhoneiros

Ronaldo Couto
Araguaia Notícia
Os caminhoneiros de Barra do Garças continuam mobilizados e com dois bloqueios na cidade. Um dos líderes, Odilon Fonseca, informou por volta das 23h44 de quinta-feira (24/5) que o movimento continua firme e forte e que seria mentira do governo a informação que houve acordo e suspensão da greve no país.

“Essa informação de que acabou a greve é mentira do governo com intenção de enfraquecer o movimento. Nós continuamos aqui com dois bloqueios em Barra do Garças e pedimos aos colegas que mantenham a mobilização nas demais cidades do Vale do Araguaia”, frisou.

Odilon disse que a greve dos caminhoneiros continua em todo o país e que os bloqueios estão mantidos em Barra do Garças, Água Boa, Canarana, Confresa e Primavera do Leste. “Nós estamos ganhando adesão do povo na nossa mobilização. Os mototaxistas se uniram a nós e tivemos a informação que o comércio vai fechar e fazer uma carreata a favor dos caminhoneiros em Primavera Leste e Água Boa”, completou.

Os bloqueios em Barra do Garças acontecem perto da rotatória do Café Viola e no bairro São José na Br 070. Muitos caminhoneiros estão recolhidos nos postos de combustíveis descansando e a tendência é que a greve continua na sexta-feira.

O governo federal informou que manterá um desconto de 10% no combustível por um mês e que estaria buscando uma alternativa na redução de impostos como PIS e COFINS para justamente atender a solicitação dos caminhoneiros. E para sexta-feira, o comércio de Primavera do Leste e Água Boa estão prometendo fechar por algumas horas e realizarem uma carreata em favor dos caminhoneiros.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%