16/05/2018 às 18h00min - Atualizada em 16/05/2018 às 18h00min

Bebê, do Araguaia, com sopro no coração é transferido para o Paraná após intervenção da Justiça

João Gabriel é de Canarana e estava em Rondonópolis após não receber o atendimento adequado na cidade de Água Boa. Ele foi diagnosticado com cardiopatia grave.

Tv Centro América / Globo
Araguaia Notícia
O recém-nascido João Gabriel Tauffer Silva, que tem um mês de vida e sofre de uma cardiopatia grave, foi transferido nesta quarta-feira (16) para o Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, onde deve passar por uma cirurgia cardiovascular aguardada há 10 dias. Ele estava internado desde o dia 7 deste mês na Santa Casa de Rondonópolis.
 
Natural de Canarana, o bebê foi diagnosticado com sopro no coração em um Hospital de Água Boa, e conseguiu uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Santa Casa de Rondonópolis após determinação da Justiça.
 
João Gabriel Tauffer Silva, de 25 dias, está internado (Foto: Arquivo Pessoal)

João Gabriel Tauffer Silva, de 25 dias, está internado (Foto: Arquivo Pessoal)

João Gabriel Tauffer Silva, de 25 dias, está internado (Foto: Arquivo Pessoal)
 
No hospital, porém, a cardiopediatra responsável pelo bebê observou que a cirurgia pela qual João Gabriel precisa passar não é feita em nenhum hospital de Mato Grosso, razão pela qual os pais do menino voltaram a acionar a Justiça, dessa vez, pedindo a transferência do filho para uma unidade onde ele poderia fazer a cirurgia o mais rápido possível.
 
Na terça-feira (15), a Justiça determinou que João Gabriel fosse levado para o hospital de Curitiba, onde será operado. Ele foi transferido de UTI aérea na manhã de hoje.
 
Segundo os médicos, o estado de saúde do bebê é estável, mas como há obstrução de alguns vasos do coração, é necessária a cirurgia com urgência, para evitar que algo grave aconteça.
 
'Angústia'
 
João nasceu com pouco mais de 3 kg e 47 centímetros. Segundo a mãe, assim que nasceu, a pediatra percebeu um leve sopro no coração, mas afirmou que aquilo sumiria dentro de 15 dias, o que não ocorreu. Segundo a mãe, Cândida Tauffer, a cardiopatia se agravou.
 
Como o hospital de Água Boa não tem recursos, a Defensoria Pública ingressou com uma ação judicial para garantir a vaga para o bebê e conseguiu uma decisão favorável no domingo (6).

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%