01/05/2018 às 23h43min - Atualizada em 01/05/2018 às 23h43min

Pecuaristas e policiais se unem na região de Barra do Garças para combater roubos e furtos de gado

Viviane Petroli / Mato Grosso Agro
Araguaia Notícia
Viviane Petroli / Mato Grosso Agro
Produtores rurais dos sete municípios que compõe a região de Barra do Garças se uniram a Polícia Militar, Polícia Civil, Delegacia de Roubos e Furtos e a Polícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) para combater e inibir os casos de roubos e furtos de gado. Lançado em 8 de março de 2018 o projeto “Fazenda Segura” conta com mais de 170 produtores inscritos já. Em 2017, em torno de 500 cabeças de gado foram roubados ou furtados de propriedades na regional de Barra do Garças.

O projeto Fazenda Segura foi um dos pontos de destaque no dia 23 de abril em Barra do Garças durante a passagem da Rota 4 do Acrimat em Ação no município, que contou com a presença de 201 produtores.

Os registros de roubos e furtos de gado, bem como de sementes, insumos agrícolas, maquinários e veículos nas propriedades rurais se tornaram constantes em Mato Grosso, tanto que chega a levar alguns produtores a repensarem sua permanência na atividade.

Em novembro de 2016, por exemplo, como o Mato Grosso Agro já comentou (clique aqui), uma carga de sêmen bovino, avaliada em aproximadamente R$ 1,2 milhão, foi subtraída em uma empresa especializada. Os sêmens bovinos estavam acondicionados em diversos botijões.

“É um projeto inovador, onde as policias vão nas propriedades rurais fazendo o cadastramento e através disso elas tem os envolventes das fazendas, marca do gado, os modelos de veículos da propriedade, ou seja, se está criando um banco de dados que auxilie nas investigações ou no momento de uma abordagem de um caminhão ao se ver que há algo de errado, como uma falta de nota, por exemplo”, comenta a representante regional da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) no Vale do Araguaia, Maria Ester Tiziani Fava, mais conhecida como Téia Fava.

O projeto Fazenda Segura, desenvolvido pela Acrimat e as polícias da região de Barra do Garças, envolvem os municípios de Barra do Garças, Pontal do Araguaia, Ribeirãozinho, Novo São Joaquim, General Carneiro, Torixoréu e Araguaia.

Em entrevista ao Mato Grosso Agro, Téia Fava comenta que o projeto vinha sendo montado há cerca de oito meses antes de seu lançamento em 08 de março. Ela comenta os produtores já cadastrados estão recebendo treinamento da Politec sobre como proceder em casos de roubos e furtos nas propriedades, como não colocar a mão em locais que possam haver digitais dos suspeitos.

O delegado de Polícia da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Barra do Garças, Wilyney Santana Borges, explica que o objetivo do Fazenda Segura é “aumentar a sensação de segurança no campo, aumentar os meios de comunicação entre o produtor rural e os órgãos de segurança para que quando ocorra algum crime ou delito essa resposta seja mais rápida e também pegarmos informações básicas da propriedade. Tudo isso visa o combate de crimes de furto e roubo de gado que tem ocorrido em nossa regional”.

Conforme o delegado, em 2017 cerca de 500 cabeças de gado foram roubados ou furtados na região de Barra do Garças. “A maioria desses animais, os que não são recuperados, eles vão para abate clandestino, através de açougues ou restaurantes”, frisa.

O projeto Fazenda Segura deverá ser apresentado em breve ao Governo de Mato Grosso. O intuito é conseguir junto ao Poder Executivo equipamentos que auxiliem a inibir ainda mais tais crimes nas propriedades, como veículos para rondas, computadores, aparelhos de celular para comunicação entre a polícia e produtores e rádios.

*A reportagem do site Mato Grosso Agro acompanha a Rota 4 do Acrimat em Ação 2018 à convite da Acrimat.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.0%
3.7%
11.6%
83.7%