05/04/2013 às 12h17min - Atualizada em 05/04/2013 às 12h17min

Vereador é abordado com pescado irregular e foge da polícia furando dois sinais

Olhar Direto
Olhar Direto

O vereador de General Carneiro, Jackson Luiz Alves Rodrigues (PR), flagrado na noite de quarta-feira (4) transportando pescado irregular na Br 070 em Barra do Garças, fugiu da Polícia Rodoviária Federal (PRF) quando estava sendo conduzido a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) para fazer pesagem e lavrar o auto de crime ambiental.

Os patrulheiros informaram ao diretor da Sema, Cleber Fabiano, que abordaram o vereador próximo ao Posto Draceninha por volta das 21 horas e constataram a presença do pescado dentro do carro Punto de Jackson e os policiais pediram para que ele acompanhasse a viatura até a sede da Sema. O veículo do parlamentar foi escoltado pela avenida Ministro João Alberto, mas quando o comboio chegou perto do semáforo da Casa do Criador o vereador furou o sinaleiro e saiu em disparada e furou o segundo semáforo da avenida Gabriel Ferreira e entrou numa rua na contramão sentido bairro Campinas e sumiu.

Os patrulheiros ainda tentaram seguir o parlamentar, mas não conseguiram alcança-lo. Segundo os patrulheiros, Jackson estaria com quatro exemplares grandes do peixe Piraíba, conhecido Filhote. A denúncia anônima foi feita na Sema que pediu apoio da PRF para abordar o carro do vereador. De acordo com a denúncia, o vereador estaria transportando o pescado do rio Garças em General Carneiro para a cidade de Aragarças.

A PRF informou que o parlamentar foi indiciado pelo crime de desobediência. Com relação ao crime ambiental, a Sema destacou que depende de um relatório dos patrulheiros que tem fé pública para indiciar o vereador mesmo não tendo mais o pescado que estava dentro do carro de Jackson.

A pesca do Filhote é proibida desde março de 2013 pela lei n. 9.893 porque essa espécie está em extinção. Caso o pescado fosse constatado pela Sema, o Jackson iria responder pelo crime ambiental e pagaria multa de mil reais e mais 20,00 por quilo do peixe.

“Nós dependemos do relatório da PRF para tomar qualquer providencia”, finalizou Cleber. A reportagem do Olhar Direto ligou no telefone do vereador Jackson e quem atendeu disse que era irmão dele e que ele não estaria em General Carneiro e sim na cidade de Barra do Garças e não estava sabendo do ocorrido. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%