03/04/2013 às 13h20min - Atualizada em 03/04/2013 às 13h20min

Polícia caça mais suspeitos da execução de advogada

Midia News
Reprodução

Policiais civis e militares de Primavera do Leste (a 240 km Cuiabá) realizam diligências para tentar localizar três pessoas que estariam junto com Cristiano Inácio dos Santos, 24, enquanto ele dava voltas pela cidade dirigindo a caminhonete SW4 preta, da advogada Alessandra Martignago, 30.

Alessandra foi degolada na manhã de sexta-feira (29), dentro da sua própria casa. Cristiano é apontando como o principal suspeito de ter espancado e assassinado a advogada.

Familiares viram a caminhonete sendo dirigida e ocupada por pessoas estranhas, no centro de Primavera, e acionaram a Polícia.

“Já sabemos quem são essas pessoas. São amigos de Cristiano, amigos de bar, de festa. São duas mulheres e um homem, que é homossexual. Acreditamos que ele [Cristiano] cometeu o crime, roubou o carro da vítima e foi se exibir. Por isso, ficou passeando com os amigos. Ele deixou essas pessoas em algum lugar; quando ele foi perseguido pela Polícia, já estava sozinho”, disse o investigador Leandro Matias, em entrevista ao MidiaNews.

O policial informou que, até o momento, não há indícios que comprovem a participação dos três suspeitos no crime, mas o depoimento deles será importante para esclarecer os fatos.

“Tivemos a informação que os três iriam se apresentar na delegacia, mas ainda não se apresentaram e estamos realizando buscas para localizá-los”, informou o investigador.

Cristiano foi perseguido pela Polícia após uma equipe registrar a ocorrência. Ele estava dirigindo a caminhonete de Alessandra e foi atingido por um tiro. Com o disparo, o suspeito bateu o carro e está internado em coma induzido.

O delegado que comanda as investigações, Marcelo Jardins, disse ao MidiaNews que nenhuma hipótese foi descartada, mas até o momento o crime é tratado como latrocínio (roubo seguido de morte).

“As investigações estão em andamento. Ele já tinha furtado a casa dela antes. Estamos investigando todas as possibilidades”, disse.

O delegado informou também que o suspeito possui um perfil psicótico e é considerado muito violento.

“Um colega de trabalho disse que o Cristiano falou que estava saindo com uma advogada. Ele usou a expressão ‘boazuda e cheia de dinheiro’ para descrever a vítima. Ele acreditava nessa fantasia. Isso mostra um perfil psicótico, parece que ele vivia em uma ilusão. Outra situação que mostra esse perfil é o fato de ele ter usado o carro de Alessandra para dar voltas na cidade, como se nada tivesse acontecido, ignorando o crime”, informou o delegado.

A ex-mulher de Cristiano, que prestou serviços domésticos na casa da advogada Alessandra, registrou um boletim de ocorrência contra o suspeito.

Segundo o BO, Cristiano a agrediu e a obrigou a manter relações sexuais forçadas. O ato teria sido cometido na frente de uma criança de 2 anos, filho do casal.

Após matar a advoga, ele fugiu na caminhonete da vítima, levando a bolsa dela, contendo cerca de R$ 5 mil em dinheiro e documentos pessoais.

Com ele, a polícia também apreendeu objetos furtados da casa da advogada há alguns dias.

O corpo de Alessandra foi sepultado no sábado (30) em um cemitério da cidade. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%