25/03/2018 às 16h53min - Atualizada em 25/03/2018 às 16h53min

Por causa de briga de facções, 100 presos são transferidos de Cuiabá para Água Boa

Parentes de detentos prometem realizar na segunda-feira (26), em frente a Assembléia Legislativa, um ato de protesto contra a remoção de presos em MT

Circuito de Mato Grosso - Água Boa News
Araguaia Notícia
Gazeta Digital
Depois da transferência de 100 detentos da Penitenciária Central do Estado (PCE) em Cuiabá para a unidade prisional de Água Boa neste sábado (24) parentes e mulheres de presos realizará na próxima segunda-feira (26) um ato de protesto pacífico em frente à Assembleia Legislativa na capital.

As famílias dos detentos cobram uma medida do governo contrária a transferência que já aconteceu. O ato está previsto para acontecer às 13h e com isso chamar a atenção das autoridades sobre a precariedade e mau atendimento nas unidades prisionais.

Em conversa com o Circuito Mato Grosso, uma mulher de detento que não quis se identificar, relatou que desde que o diretor Revetrio Francisco da Costa assumiu a direção da PCE os problemas começaram.

“Esse diretor chegou e tem feito um inferno na vida dos nossos maridos, ele tem deixado os presos sem comida até às 14h e mentiu ao falar que os detentos que fizeram greve, quando na realidade os agentes proibiram a saída dos detentos das celas e mantendo-os trancados, fora isso tem as agressões por parte dos agentes. Esse diretor tem que ser trocado urgentemente”, disse a fonte.

Além dos 100 presos transferidos para Água Boa, outros 35 detentos foram encaminhados para Juína.

A manifestação pretende reunir mais de 100 mulheres, “buscamos apenas os nossos direitos e não é a primeira vez que fazemos isso. Vamos realizar uma manifestação de forma pacífica queremos conversar com as autoridades e passar os problemas enfrentados pelos detentos dentro do sistema carcerário.

As famílias dos presos transferidos ainda não sabem como irão fazer para visitar os maridos e filhos transferidos, ou se ainda há a possibilidade deles serem recambiados novamente a Cuiabá.

De acordo com a fonte do Circuito Mato Grosso, advogados já estão atuando para trazer os presos novamente para a capital.

Diretor linha dura

Desde que assumiu a direção da PCE, o diretor Revetrio Francisco da Costa vem realizando importantes ações contra o combate de ‘regalias’ que os detentos usufruíam dentro da PCE.

Uma revista foi realizada dentro da PCE e vários aparelhos celulares e drogas foram apreendidos por agentes prisionais durante a operação.

A transferência dos presos de acordo com a Secretaria de Justiça e Dreitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh) foi em função de serem líderes de facções e de dentro da unidade prisional terem ordenados ataques a casa de agentes penitenciários e a sede do Sindicatos dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen-MT).

A Sejudh relata que após o término da operação irá se pronunciar sobre o caso. A transferência foi feita em ônibus com escolta de policiais militares e apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas.

Presos protestam:

Detentos divulgaram uma carta mostrando a realidade dos presos nas unidades prisionais, de acordo com eles, há muita violência e humilhação por parte dos agentes penitenciários.

“Estamos indignados com a falta de respeito, onde somos tratados como animais; tiros, bombas, sprays de pimenta; e por último uma vida foi ceifada, eles justificaram que fizemos um motim, e tudo está resolvido, alguns animais tem mais respaldo que um reeducando, porque se eles matarem um animal responderam por crime ambiental”, diz trecho da carta.

Confira o comunicado na íntegra:

“REALIDADE DA PCE
•             Os reeducando vem por meio deste, dar ciência, a mídia do Estado de Mato Grosso, onde vem incansavelmente publicando em sua matérias; que estamos revoltado, por terem perdidos aparelhos telefônicos, ou entorpecente se vocês olhassem o histórico, saberiam que isto acontece constantemente; estamos indignados com a falta de respeito, onde somos tratados como animais; tiros, bombas, sprays de pimenta; e por último uma vida foi ceifada, eles justificaram que fizemos um motim, e tudo está resolvido, alguns animais tem mais respaldo que um reeducando, porque se eles matarem um animal responderam por crime ambiental, já o preso se morrer dentro do sistema, onde o estado tem o dever de proteger, é só alegar que foi motim; estamos cansados de ver a mesma coisa acontecer, vamos citar um fato, no ano de 2016 os agentes queria aumento salarial, como não tiveram suas reinvindicações atendidas, os mesmos provocaram uma situação, para chamar atenção do governo, e depois alegou que os reeducando fizeram motins,  estamos rogando a vocês que analisem os fatos, investiguem para saber se estão sendo verdadeiros com os fatos das suas publicações, onde  indiretamente estão sendo coniventes, com esses crimes, onde era apenas torturas, mais como é só falar que foi motim e não da nada; Agora estão assassinando, e sabe Deus o que pode acontecer; não publiquem mais em suas reportagem, onde vocês alegam que os motivos, que não temos diálogos com esta direção, é  por causa de revistas em nossas celas,  que tem se intensificado, pelo amor de Deus não comparem uma vida, a coisas insignificantes, coloquem a mão na consciência; outro assunto referente áudios, acreditamos que foi um desabafo de quem não suporta mais ver estas coisas acontecer; sobre estes atentando que foram em concretos e janelas, onde tiveram mais importância, que uma vida q se foi; tem uma coisa que não conseguimos entender, os agentes ir na pilha deste diretor, sendo que eles vivem em casas humildes, em comunidades onde todos sabem quem eles são, não tem um agente na capital que ninguém saiba onde eles moram, não vivem 24 horas por dia sobre escoltas, nem moram em condomínios, e  muito menos vivem em carros blindados, talvez vocês acham que, a única forma de ser privado da liberdade, é dentro de uma prisão, estão totalmente equivocados, deem valor nos lazeres que podem ter com suas famílias, sair a noite, ir em uma lanchonete, comer uma pizza, levar seus filhos na escola, sem se preocupar com nada, acredito que vocês não estão pensando nisso, acreditamos que a maior prisão q existe, é você ser refém de suas atitudes;  por que não ganhar o seu pão de cada dia, respeitando a constituição? Constituição Federal proíbe as penas cruéis (art. 5º , XLVII , e , CF/88), e garante ao cidadão-preso o respeito à integridade física e moral (art. 5º , XLIX , CF/88). Já não é o suficiente, viver ne um espaço físico preparado para (8 oito reeducando), onde na realidade, moramos em (40 quarenta), neste espaço, onde não temos um atendimento médico digno, estamos sujeitos,  a todos os tipos de doenças, onde água é racionada ao extremo, sendo insuficiente para uma higiene pessoal, agora imagine como manter este local limpo; Estamos implorando para pagar nossas penas com dignidade; tanto para nós como para nossos familiares, que são zoados, em vários sentidos tanto na intimidação, tratadas com arrogância, a nossa  alimentação às vezes jogam fora, outra hora não permite a entrada, sendo que estão,  dentro dos quesitos recomendados, como não ter espinho, nem ter ossos, uma coisa é certa nossa família não vem aqui pra fazer amizades e sim nos visitar, queremos apenas o respeito; Vamos deixar uma pergunta, será que é possível resocializar alguém, com estes tratamentos desumanos?”

Veja abaixo o comunicado dos parentes de presos convocando para o manifesto desta segunda-feira.

INFORMATIVO
A Massa Carcerária e seus familiares convidam a todos para a manifestação pacífica que ocorrerá:
Data: 26/03/2018
Horario: 13 horas
Local: Em Frente à Assembleia Legislativa
Pedimos justiça pelo assassinato ocorrido dentro da PCE, e por todos os abusos e ameaças de morte que vem ocorrendo dentro da unidade. Buscamos soluções por parte dos governantes deste Estado e de todas as autoridades competentes. Convidamos a todos para este manifesto. VAMOS À LUTA!

Ver vídeo do protesto na saída dos presos da PGE em Cuiabá.

O Agua Boa News não conseguiu oficialmente a confirmação da chegada dos presos na Unidade Prisional de Água Boa, mas uma fonte informou que os ônibus chegaram durante a madrugada. Estamos aguardando mais informações através das Secretarias de Segurança e Justiça de Mato Grosso.
Notícias Relacionadas »
Comentários »