23/03/2018 às 22h34min - Atualizada em 23/03/2018 às 22h34min

Secretaria de Saúde esclarece população sobre gêmeos recém-nascidos internados em Barra do Garças

Os gêmeos nasceram no Materno Infantil de Goiania e segundo médicos não deveriam ter recebido alta. Aragarças busca novas vagas para levar gêmeos de novo para Goiania.

Secom - BG
Araguaia Notícia
Reprodução / Ilustrativa
O Município de Barra do Garças, através da Secretaria Municipal de Saúde, esclarece que os gêmeos prematuros que estão internados no Hospital Municipal nasceram no Município de Goiânia/GO, no dia 05/03/2018, no Hospital Materno Infantil, prematuros de 35 semanas de gestação e receberam alta precoce, após 03 dias do nascimento, sem maturidade pulmonar adequada.

No dia 19, um dos bebês deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento 24 horas, após a família procurar o hospital de Aragarças e ser encaminhado para atendimento na UPA de Barra do Garças e, após, foi solicitado suporte a Aragarças/GO, onde residem os pais dos Recém Nascidos, que noticiou estar iniciando o processo de regulação e pediu apoio para a estabilização do Recém-nascido.

Buscando a promoção da vida, a diretoria clínica  solicitou apoio ao pediatra, que acolheu inicialmente apenas 01 RN com saúde agravada e após o outro, estando acomodados em isolado e não na enfermaria com mais pacientes, afastando assim risco de infecção, em berço aquecido para manutenção da temperatura adequada, com prescrição de antibiótico endovenoso, uso de HOOD (capacete) suplementar (serve para auxiliar no tratamento do bebê prematuro, auxiliando na parte respiratória).

De acordo com o boletim médico, os recém-nascidos não correm risco de vida, mas possuem indicação de manutenção de UTI neonatal, para o adequado amadurecimento pulmonar e jamais deveriam ter recebido alta do Hospital Materno Infantil de Goiânia/GO, de forma prematura, como ocorrera. 

Desde o primeiro contato com a cidade de Aragarças, é encaminhado relatório com evolução diária do estado de saúde dos pacientes, para auxiliar na regulação ao município de referência, qual seja, Goiânia/GO, sendo tais relatórios recebidos pela Assistente Social do hospital Municipal Getúlio Vargas de  Aragarças.
Quanto a vaga, regulação e transporte desses pacientes, é importante ressaltar, que  compete ao município, no caso Aragarças, proceder a regulação de seus pacientes, utilizando o sistema disponibilizado pelo Estado (Goiás) que integra e adotar os procedimentos necessários, conforme o caso de cada paciente.

Barra do Garças também enfrenta situações de agravamento de saúde de gestantes e utiliza o sistema de regulação do Estado de Mato Grosso para transferência dos pacientes ao referência de saúde, para atendimento de alta complexidade, mas não pode utilizar o sistema de Goiás, competindo ao município de Aragarças/GO fazê-lo e também, não tem como transferir os pacientes para Cuiabá ou Rondonópolis, pois a referência deles é Goiânia –GO e no aguardo de providências, por quem compete, está dando todo suporte hospitalar necessário a manutenção da VIDA.

Assim, o município de Barra do Garças – MT acolheu os pacientes recém-nascidos com sua estrutura e desde então tem sido garantidores de vida dos mesmos, propiciando acesso ao que não fora ofertado no município de origem, bem como tratamento adequado a manutenção da VIDA, bem maior e inestimável, que tem sido priorizado diariamente em todas as unidade de saúde de Barra do Garças,  por ser uma determinação do gestor municipal. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »