21/03/2018 às 18h48min - Atualizada em 21/03/2018 às 18h48min

Bebê tem a clavícula fraturada no parto em MT e mãe diz que médico fez 'pouco caso': 'Eu gritava por ajuda'

Gracilene dos Santos Silva Guacasse diz que deu à luz em maca porque houve demora no procedimento. Ela disse que bebê chorava sem parar e ao chegar em casa notou que recém-nascido estava com um osso saltado.

G1 MT
Araguaia Notícia
Um bebê teve a clavícula quebrada durante o parto no Hospital São Luiz em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, no dia 12 deste mês. A mãe dele, Gracilene dos Santos Silva Guacasse, reclamou de descaso por parte do médico que a atendeu e atribui a fratura ao atendimento. Ela registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil, na segunda-feira (19).

Em nota, o Hospital São Luiz de Cáceres diz ter instaurado uma sindicância interna para apurar o caso e que se colou à disposição para prestar esclarecimentos às autoridades.

Gracilene alega que houve demora no encaminhamento dela à sala de cirurgia e que o médico demorou a fazer parto, que foi normal.

“O médico fez pouco-caso. Eu gritava por ajuda e disse várias vezes que o bebê estava nascendo, mas ele realizava o toque e dizia que não estava na hora ainda", contou.

Ela disse que, depois de muita insistência e demonstração de dor, ele começou a fazer toques mais agressivos e, em seguida, a encaminhou ao centro cirúrgico

Segundo Gracilene, ela deu à luz na maca, na qual estava sendo levada para o centro cirúrgico, porque não deu tempo de ser transferida para a cama antes do parto.

“Eles me levaram para o centro cirúrgico e não deixaram a minha mãe, que estava me acompanhando, entrar comigo”, afirmou.

Logo que chegou na sala, ela disse que teve o bebê.

De acordo com Gracilene, demorou cerca de 20 minutos para o bebê chorar pela primeira vez e, depois disso, chorou por aproximadamente duas horas seguidas. “Chorou até perder o fôlego”, disse.

Quando Gracilene recebeu alta do hospital, ela contou ter perguntado a um médico residente sobre os choros frequentes da criança e ele lhe disse que era normal e que passaria no decorrer dos dias.

Após chegar em casa, ela notou que havia um osso saltado na clavícula da criança e ele chorava muito.

Foi então que ela se dirigiu até um ambulatório onde foi informada que não havia pediatra disponível. Em seguida, foi até o Pronto Socorro, onde foi constatado, após exame de raio-X, que o bebê estava com uma fratura na clavícula.

A criança foi imobilizada no braço e da coluna e deve retornar ao Pronto Socorro no próximo dia 28 de março para a realização de novos exames.
Notícias Relacionadas »
Comentários »