16/03/2018 às 10h55min - Atualizada em 16/03/2018 às 10h55min

Cabeleireiro foi assassinado em Barra do Garças por causa de carro e 600 reais

Quatro elementos tramaram a morte do cabeleireiro. Três já estão presos. Em entrevista coletiva, delegados explicam como tudo ocorreu

Chocolate News
Araguaia Notícia
O delegado Adriano Marcos Alencar, da 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Civil de Barra do Garças, concedeu entrevista coletiva a imprensa, em seu gabinete na tarde de ontem (15), para discorrer sobre a prisão de dois elementos foragidos da justiça, acusados de terem participado do latrocínio (roubo seguido de morte) contra a pessoa do cabeleireiro Adão Gleber da Silva, 44 anos, ocorrido na noite de terça-feira (13/03), no bairro de Vila Maria, em Barra do Garças.

O delegado, acompanhado por agentes do grupo Garra e investigadores da 1ª DP,  disse aos repórteres que, quatro elementos participaram da ação criminosa que vitimou fatalmente o cabeleireiro.

- Pelo que apuramos até agora, foram quatro os participantes: Divino Andrade da Silva (vulgo macarrão), 34  anos, David L, 19 anos, Pedro Gabriel Alencar (vulgo dentinho), 19 anos e Renato Lopes Alencar, 36 anos. Nossos agentes apuraram que, os elementos planejaram roubar o carro da vítima (um celta ano 2001), e vendê-lo em Confresa, onde, segundo relatou Divino (elemento que encontra-se preso em Barra do Garças), Renato já teria um comprador. Um fato inusitado é que, Renato é morador de Confresa e esteve em Barra do Garças, e deixou o filho na responsabilidade de Divino, até então, desconhecido de Renato. O próprio filho, entregou Renato dizendo que, a faca utilizada para a prática do crime, é de propriedade do seu pai. Divino disse aos policiais que o plano era vender o carro em Confresa. Além do carro, os bandidos levaram R$ 600,00 da vítima. - disse o delegado.

O agente Rafael, disse que os elementos tiveram o cuidado de queimar as vestes utilizadas no crime, bem como, a carteira identidade da vítima.

Os agentes informaram ao Chocolate News que, os elementos foram presos em barreira policial efetuada por policiais militares no distrito de Espigão do Leste (230 Km de São Félix do Araguaia) e posteriormente foram conduzidos para São Félix do Araguaia, onde serão ouvidos e ficarão a disposição da justiça. A transferência para Barra do Garças deve acontecer no prazo mínimo de 20  dias.
Notícias Relacionadas »
Comentários »