14/03/2018 às 22h00min - Atualizada em 14/03/2018 às 22h00min

Morto em briga de facções no presídio de Cuiabá era foragido da Justiça de São Paulo

Gazeta Digital / Cuiabá
Araguaia Notícia
Um princípio de motim no raio 1 da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, resultou na morte de um dos detentos no começo da tarde desta terça-feira (13).

O presidiário morto foi identificado como Jordan Rafael Bras de Arruda, 19. Ele seria transferido para o Estado de São Paulo nas próximas horas. De acordo com informações do presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), João Batista Pereira de Souza, o óbito foi confirmado por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Ao Gazeta Digital, João Batista Pereira Souza, presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindspen-MT) relatou que já tinham agentes penitenciários de São Paulo se deslocando para Cuiabá para a fim de fazer o recambiamento do criminoso que era foragido da Justiça de Piracicaba (SP). No município Paulista, Jordan era acusado de ter praticado um latrocínio contra um fiscal de caixa em fevereiro deste ano. 

Por enquanto, as causas da briga ainda estão sendo apuradas, mas até as 17h desta terça-feira, a informação era que a vítima foi obrigada a beber uma 'mistura' dentro da cela. 

Jordan seria membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele entrou no presídio no dia 6 de março e cumpria pena temporariamente sob acusação de homicídio.

Ainda de acordo com o presidente do Sindspen, o motim seria uma rixa entre integrantes de duas facções criminosas rivais, o Comando Vermelho (CV) e o PCC. 

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), responsável pela administração do sistema penitenciário em Mato Grosso, foi procurada pelo Gazeta Digital, mas até o momento não emitiu qualquer posicionamento sobre o motim e a morte do presidiário dentro da PCE. 

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »