24/03/2013 às 13h49min - Atualizada em 24/03/2013 às 13h49min

Maquinário é apreendido em fazenda e prefeito vê perseguição do primo

Olhar Direto
Semana 7

A Polícia Civil apreendeu sábado (23) maquinários da prefeitura de Barra do Garças sob acusação de que estariam efetuando serviços na fazenda Tamburi, a 42 km da cidade, pertencente ao prefeito Roberto Farias (PSD). A determinação partiu do Ministério Público Estadual (MPE) e foram recolhidos dois caminhões basculantes e uma pá-carregadeira. A denúncia contra o prefeito teria partido, segundo o social-democrata, do vereador Júlio César (PSDB), que é aliado do ex-prefeito Wanderlei Farias, primo de Roberto.

Roberto nega uso do maquinário em benefício próprio e atribui à denúncia a perseguição do primo que estaria por trás dessa denúncia. “O maquinário estava arrumando uma estrada vicinal que passa pela fazenda Tamburi, mas que é usada pela comunidade desde 1940”, explica o prefeito. A estrada seria de escoamento de produção e até mesmo utilizada para o transporte escolar rural. O social-democrata vê maldade na denúncia porque teria sido feita no momento em que as máquinas arrumavam as estradas, fato que não vinha ocorrendo nos últimos quatros que o primo era prefeito.

Em nota a imprensa, o prefeito disse que está pronto para prestar os esclarecimentos necessários para população sobre o que realmente aconteceu. Todavia, ele espera que o serviço não seja suspenso porque existe a necessidade de recuperar o quanto antes as estradas vicinais para ajudar no escoamento da produção de hortaliças e pequenos animais.

Roberto acrescentou que lamenta atitude de alguns vereadores, que como Júlio César, são vistos constantemente, com ex-prefeito e começam agir no legislativo com intenção de prejudicar a sua administração. “Eles criam factoides tentando macular a administração, mas não estão conseguindo. E essa denúncia pode prejudicar aquela região, As famílias que dependem de arrumar as estradas”, frisou.

O maquinário foi levado para um galpão de uma empresa até segunda ordem do Judiciário. O promotor Marcos Brant não se pronunciou sobre o assunto. O delegado Adilson Gonçalves disse que apenas cumpriu o mandado de busca e apreensão no recolhimento do maquinário. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.8%
75.1%