28/02/2018 às 22h22min - Atualizada em 28/02/2018 às 22h22min

Sumiço de dona de casa em Barra do Garças completa 2 meses

São duas mulheres desaparecidas que tinham o mesmo problema de dependencia química e conviviam com moradores de rua no Porto do Baé

Araguaia Notícia
Sirlândia é conhecida como Sisi e se tornou dependente química nos últimos 10 anos.
As filhas da dona de casa Sirlandia Rodrigues da Silva, conhecida como dona Sisi, 47 anos, continuam sem resposta do que aconteceu com a mãe, desaparecida há dois meses. Ela sumiu nas imediações do Porto do Baé em Barra do Garças. Sisi infelizmente se tornou dependente química e ficava por muito tempo enturmada com os moradores de rua e foi vista pela última vez numa região conhecida como ‘matinha’ nos fundos do Hotel Odara.

“Minha mãe era uma mulher normal como qualquer outra bastante trabalhadeira. Ela trabalhava de doméstica para conseguir o sustento de casa. Mas infelizmente nos últimos dez anos passou a usar bebida e drogas depois que se casou com um homem que era usuário”, explica a filha Leia Rodrigues.

Leia esteve nas tvs, rádios fazendo apelos e percorreu o Porto do Baé em busca de informações da mãe por vários dias, porém sem sucesso. “Eu peço apoio da população se alguém souber do paradeiro da minha mãe por favor nos ajude a localizá-la. Gostaria de pedir também o empenho da polícia para investigar esse caso”, completou.

São duas mulheres que estão desaparecidas em Barra do Garças curiosamente as duas frequentavam o mesmo lugar, a tal da matinha nos fundos do Hotel Odara. Sisi de 47 anos e a jovem Amanda Ribeiro Nunes de 23 anos. As duas tinham problema com dependência química. Amanda falou com a família pela última vez no dia 13 de janeiro. A Sisi foi vista pela última vez no início de janeiro.

O delegado Heródoto Fontenelle acompanha os dois casos e solicitou uma busca minuciosa do Corpo de Bombeiros na mata atrás do hotel e na margem do rio. Um homem procurou a mãe da Amanda, dona Dinalva Aparecida Ribeiro, dizendo que a filha dela teria sido assassinada e o corpo jogado dentro do rio, todavia este fato não foi confirmado pela polícia

Quem tiver informações sobra o paradeiro da Sisi pode ligar no telefone (66) 9 9240 4639.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
5.3%
18.3%
75.1%